Píton birmanesa de quatro metros é capturada na piscina de uma casa em Miami

Superpopulação da espécie de cobra, que pode chegar a quatro metros, está se tornando um problema na Flórida

EFE |

Science
A píton birmanesa não é venenosa, mas mata por esmagamento. Uma delas já matou uma criança pequena, também na Flórida
Uma cobra píton birmanesa de cerca de quatro metros de comprimento foi capturada numa piscina de uma casa nos arredores de Miami, no estado da Flórida, nos Estados Unidos, informaram nesta segunda-feira o corpo de bombeiros local.

O réptil foi recolhido neste domingo por membros da unidade especial Venom. O animal será usado no treinamento para a captura desse tipo de serpente, que pode chegar a oito metros de comprimento e pesar cem quilos.

Os proprietários da casa, localizada em Palmetto Bay, encontraram a píton birmanesa na manhã de Natal e em seguida chamaram a polícia. Esse tipo de réptil não venenoso se adaptou às condições de vida nos pântanos da região e começaram a se reproduzir rapidamente.

Leia também:
Mecânico encontra píton dentro de motor de carro

Cobras com coração grande dão pistas para tratamento cardíaco em humanos
Fotógrafo registra leopardos disputando cobra em 'cabo-de-guerra'

Por se tratar de uma espécie invasora, as pítons se tornaram um problema na Flórida. Calcula-se que existam mais de 50 mil espécimes desse réptil no estado. Sua disseminação na região pode ter sido causada por pessoas que adquiriram os pítons como animais de estimação mas que os soltaram nos pântanos quando eles cresceram.

O réptil se alimenta de diversos tipos de animais, de jacarés a pequenos roedores. Recentemente, foi encontrado um píton que tinha acabado de comer um cervo de mais de 30 quilos.

Em 2009, um animal desse tipo escapou da jaula onde era mantida numa casa em Orlando e estrangulou e matou uma menina de dois anos enquanto ela dormia. A mãe da menor e seu namorado foram declarados culpados em julho de assassinato em terceiro grau, homicídio sem premeditação e negligência.

A Comissão para a Conservação da Pesca e a Vida Silvestre da Flórida (FWC) afirmou na ocasião que o problema era grave e que por isso começou a implementar medidas de controle. Além disso, o governo estadual aprovou uma lei que proíbe a aquisição de pítons e outros seis tipos de répteis como animais de estimação. EFE emi/dk

    Leia tudo sobre: cobraspítonsestados unidosflórida

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG