Pinguim 'extraviado' da Antártida é operado na Nova Zelândia

Ave, apelidada de Happy Feet, precisou passar por cirurgia após comer areia achando que era neve

BBC Brasil |

selo

AP
Veterinários em Wellington cuidam do pinguim que nadou três mil quilômetros
Um jovem pinguim imperador que se perdeu na Antártida e foi encontrado na Nova Zelândia foi submetido a duas operações para tentar salvar sua vida.

Happy Feet, que nadou cerca de 3 mil quilômetros entre o pólo sul e a Nova Zelândia, teve o estômago operado para remover areia, que ele vinha ingerindo achando que era neve.

Pinguins ingerem neve para se hidratar e manter a temperatura do corpo. A areia ingerida por Happy Feet está lhe causando bloqueios no corpo, segundo os veterinários. Os especialistas relutavam em submeter o animal a uma operação, porque Happy Feet, que tem cerca de dez meses de idade, parecia gozar de boa saúde quando foi encontrado, na última segunda-feira (22), na praia de Peka-Peka, a 60 km de Wellington.

Mas sua condição foi piorando e os veterinários decidiram trasladá-lo para o zoológico de Wellington para as operações. Além das duas cirurgias deste domingo, o animal deve ser submetido a uma terceira na segunda-feira. Ele está recebendo hidratação intravenosa através de um tubo.

"Há gente do mundo inteiro de olho nesse caso e eles precisam saber que estamos fazendo o nosso maior esforço", disse uma veterinária do zoológico, Lisa Argilla.

O empresário Gareth Morgan, que viajará para a Antártida em fevereiro, se ofereceu para levar Happy Feet consigo. "Até lá ele terá de receber os cuidados aqui em Wellington, onde temos a felicidade de contar com uma grande comunidade de especialistas em vida animal", disse o empresário, em seu site. Morgan disse estar confiante em que "o nosso amigo extraviado seja acolhido devidamente até a hora de zarpar."

AP
Funcionário do governo neozelandês ao lado do pinguim errante: espécie pode chegar a um metro de altura quando adulta
Novidade
Foi a primeira vez em 40 anos que um animal da espécie foi visto na Nova Zelândia. Segundo o jornal New Zealand Herald, o último registro de um pinguim imperador no país foi na praia de Oreti, na ilha Sul, em 1967.

Leia também:
O mistério dos pinguins sem pena
Cientistas descobrem como pinguins mantêm calor em grandes grupos
Falta de alimento ameaça pinguins da Antártida
Identificação de pinguins prejudica estudos de clima
Fóssil de pinguim gigante é descoberto no Peru


"É incrível ver um destes pinguins na costa de Kapiti. Animais incomuns da Antártida visitam nossas praias às vezes, mas não sabemos bem o porquê", disse o porta-voz de biodiversidade do Departamento de Conservação neozelandês, Peter Simpson, ao jornal.

Os pinguins-imperadores pertencem à maior de todas as espécies de pinguins e podem chegar a mais de um metro de altura quando adultos.

    Leia tudo sobre: pinguinsantártidanova zelândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG