PF indicia Chevron, Transocean e seus executivos por vazamento de óleo no Rio

Relatório acusa empresa de crimes ambientais. Dois responderão por falsidade ideológica. Chevron diz que 'respondeu de forma responsável ao incidente'

iG Rio de Janeiro |

Agência Brasil
Mancha de óleo, na bacia de Campos, em novembro. PF indiciou Chevron, responsável pela perfuração
A Polícia Federal indiciou 15 pessoas da Chevron e da Transocean e as duas empresas, por crime ambiental, pelo vazamento de óleo na Bacia de Campos, em novembro. Tanto o presidente da Chevron no Brasil, o norte-americano George Buck, quanto o diretor-geral da TransOcean, Guilherme Coelho, foram indiciados por crime ambiental.

O relatório final, com indiciamento foi finalizado às 11h desta quarta-feira pelo delegado Fábio Scliar, que presidiu o inquérito sobre o fato. “Eles assumiram o risco de fazer uma perfuração temerária, incidindo em risco proibido e trabalharam muito próximo do limite”, afirmou ao iG o delegado.

Como a Justiça está em recesso, não deve haver andamento do caso até janeiro.

Segundo ele, a área perfurada era de alta pressão e havia a possibilidade real de haver vazamento. De acordo com o documento, as empresas se deixaram levar pela “ganância”.

Eles foram enquadrados em três diferentes artigos da Lei Ambiental 9.605/98, acusados de causar poluição “em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora”; de construir ou instalar “obras ou serviços potencialmente poluidores, sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, ou contrariando as normas legais e regulamentares pertinentes”.

AE
Presidente da Chevron no Brasil, George Buck, foi indiciado por crime ambiental
Duas pessoas foram indiciadas também por falsidade ideológica, por supostamente terem sonegado informações ou deliberadamente terem repassado dados falsos às autoridades. 

De acordo com Scliar, os advogados das empresas tiveram acesso hoje ao relatório final.

A Chevron afirmou, em nota, que “respondeu de forma apropriada e responsável ao incidente”.

"A Chevron Brasil acaba de ser informada que a Polícia Federal recomendou o indiciamento de seus empregados, o que acreditamos não ter mérito. Iremos defender vigorosamente a Companhia e seus empregados. A Chevron está confiante de que, uma vez que os fatos forem totalmente examinados, eles irão demonstrar que a Chevron respondeu de forma apropriada e responsável ao incidente", diz o pronunciamento.

    Leia tudo sobre: BrasilChevronBuckvazamentoóleoBacia de CamposTransoceanPF. indiciamentocrime ambiental

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG