Petrolífera estatal nega ter ocultado vazamentos no Mar Amarelo

Acidente ocorreu em junho e primemiro comunicado da empresa foi divulgado apenas em julho

EFE |

A petrolífera estatal chinesa CNOOC, principal exploradora de petróleo marítimo do país, negou ter ocultado durante semanas dois vazamentos na baía de Bohai, no Mar Amarelo, informou um porta-voz da empresa citado pela imprensa oficial nesta terça-feira.

Jiang Yongzhi, porta-voz da companhia, disse ao jornal Global Times, que "os vazamentos foram reportados às autoridades pouco depois de terem ocorrido, e o tratamento referente a estes acidentes foi supervisionado".

Os acidentes aconteceram em junho na jazida Penglai 19-3, e as primeiras informações sobre eles apareceram em microblogs de funcionários da companhia, enquanto o primeiro comunicado oficial da CNOOC foi publicado em 1º de julho.

Os vazamentos "estão sob controle e praticamente limpos", afirmou Jiang ao "Global Times".

A jazida onde ocorreu o incidente é operado conjuntamente pela CNOOC e a companhia americana ConocoPhillips, que possuem respectivamente 51% e 49% das ações (a encarregada das perfurações é a empresa americana).

A CNOOC também não deu detalhes específicos sobre o alcance dos vazamentos, que segundo internautas chegaram a afetar 200 metros quadrados e causaram a morte de alguns peixes na zona afetada.

A Administração Oceânica Estatal da China, que gerencia as atividades marítimas, oferecerá nesta terça-feira uma entrevista coletiva sobre o acidente.

    Leia tudo sobre: chinavazamentopetróleo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG