De acordo com o organismo, os setores energético, de mineração e o de metal foram mais prejudiciais ao meio ambiente

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) afirmou em comunicado divulgado hoje (5) que as 3 mil maiores empresas do mundo foram as responsáveis em 2008 por um terço do dano meio ambiental.

Em um estudo que calcula o valor monetário do prejuízo da atividade empresarial sobre a natureza, e dos possíveis custos futuros destes danos para os investidores, a PNUMA ressaltou que as 3 mil maiores cotadas causam danos ambientais no valor de US$ 2,15 trilhões.

O custo econômico da atividade humana em geral causou ao meio ambiente US$ 6,6 trilhões em 2008, equivalente a 11% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

A PNUMA lembrou que este custo global foi 20% maior que a perda de valor nos fundos de pensões dos países desenvolvidos causada pela crise econômica.

Conforme o organismo, na medida em que cresce o dano à natureza e diminuem seus recursos, os Governos começam a aplicar taxas ambientais, afetando as contas.

O relatório detalhou que os setores mais prejudiciais para o meio ambiente são o energético, a indústria mineradora e o metal, que registraram os maiores danos à natureza em 2008.

A agência da ONU calculou que em 2050 o valor monetário anual do prejuízo à natureza originado pela contaminação marítima e aérea, e por outros resíduos, pode alcançar US$ 28,6 trilhões.

Admitiu, no entanto, que esta quantidade pode reduzir-se até 23%, no caso da aplicação de energias limpas e tecnologias mais eficientes.

Por isso, o estudo da PNUMA incentivou os investidores a "exercerem os direitos como proprietários", para colaborar para diminuir os impactos ambientais derivados das atividades das empresas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.