Obama defende suas ações na crise do vazamento de óleo

Dispositivo de contenção captura apenas parte do óleo; BP acredita que em alguns dias captará até 90% do que está vazando

iG São Paulo |

© AP
Homem passeia no sábado (5) por praia suja de óleo em Gulf Shores, Alabama
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu neste sábado a forma como vem lidando com o vazamento de óleo no Golfo do México. Enquanto isso, a BP afirmou já conseguiu captar 950 mil litros de óleo (6 mil barris) do vazamento e que em alguns dias pretende redirecionar a maior parte do óleo que sai da tubulação submarina rompida.

Usando robôs submarinos, a empresa petrolífera britânica instalou um dispositivo de contenção na tubulação danificada. Mas ainda assim, estimativas iniciais da quantidade de óleo que estava sendo coletada e redirecionada com um sifão em segurança para a superfície representam uma fração do material que continuava a vazar da tubulação quebrada.

Veja a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

O desastre econômico e ecológico ao longo da costa norte-americana tem representado um teste difícil para o presidente Obama, que tem sido criticado por não fazer o suficiente para contornar a crise. O vazamento começou no dia 20 de abril.

No seu pronunciamento semanal pelo rádio e pela internet, transmitido da Louisiana, o presidente afirmou que seu governo tem colocado em prática a maior resposta já dada a um desastre ecológico na história dos Estados Unidos.

Segundo ele, o governo está "mobilizado em todas as frentes", com mais de 1.900 embarcações e 20 mil pessoas ajudando na limpeza.

O presidente visitou na sexta-feira a região do golfo pela terceira vez desde o início do vazamento.

A BP, enfrentando inquérito criminal, um número crescente de processos e desconfiança de investidores, adiou o anúncio sobre uma possível suspensão do pagamento de dividendos a acionistas.

A empresa anunciou que o executivo norte-americano Robert Dudley vai coordenar a resposta atual e no longo prazo ao desastre.

Doug Suttles, chefe de operações da BP, afirmou a TVs norte-americanas que o dispositivo de contenção colocado na tubulação "deve funcionar", capturando 90 por cento do óleo que vem vazando. Segundo ele, vai levar alguns dias para o sistema funcionar plenamente.

(Com informações da Reuters e AFP)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG