Mudança climática não está desacelerando

Meteorologista alemão diz que é um erro interpretar o inverno rigoroso como um sinal de que o aquecimento esteja diminuindo

Reuters |

A mudança climática não está mostrando sinais de desaceleração apesar do inverno rigoroso na Alemanha que fez com que a população diminuísse sua preocupação com a ameaça do aquecimento global, disse o principal meteorologista da Alemanha na terça-feira.

Wolfgang Kusch, presidente do Serviço Meteorológico Alemão (DWD), disse que é um erro interpretar o inverno rigoroso de 2009/2010 como sinal de que a mudança climática esteja diminuindo. Uma pesquisa de opinião alemã revelou recentemente que os temores da população com relação à mudança climática caíram drasticamente.

"Apesar das variações, as temperaturas ainda estão se movendo em uma direção - para o alto", disse ele. "Os pesquisadores do clima têm de investigar períodos de no mínimo 30 anos quando falam sobre tendências... Ao mesmo tempo, a década passada foi a mais quente da Alemanha em 130 anos."

O ceticismo com relação à mudança climática tem crescido na Alemanha, um dos quatro maiores países industriais do mundo, após um inverno excepcionalmente frio e longo no norte da Europa.

Uma pesquisa de opinião do instituto Infratest publicada pela revista Der Spiegel indicou que 42% dos alemães estão preocupados com a mudança climática, abaixo dos 62% em 2006. Um terço deles não acredita que as pesquisas sobre a mudança climática sejam confiáveis e um quarto acredita que a Alemanha na verdade lucrará com a mudança climática.

Cientistas afirmam que o aquecimento global poderá modificar os padrões do clima, provocando enchentes em áreas baixas do mundo e afetando a agricultura em muitas regiões, principalmente no mundo em desenvolvimento e mais pobre.

Funcionários do DWD afirmaram na terça-feira que as temperaturas em elevação na Alemanha poderiam de fato ser uma dádiva aos agricultores locais. Eles afirmaram que a temperatura média anual na Alemanha aumentou 1,1 grau centígrado nos últimos 130 anos.

Até o final do século, o DWD espera que as temperaturas na Alemanha aumentem em entre dois e quatro graus Celsius. Os achados têm implicações especiais para os fazendeiros, disse Paul Becker, membro do conselho do DWD encarregado da unidade de ambiente e clima.

"O setor agrícola do norte europeu será um dos que se beneficiarão com a mudança climática", afirmou Becker. "O aumento da temperatura expandirá as possibilidades de cultivo de forma considerável."

Becker afirmou que a temperatura em elevação levará os agricultores alemães a plantar tipos diversos de milho que se desenvolvem em temperaturas mais altas. À medida que os invernos ficam mais amenos, os fazendeiros também poderão plantar tipos diferentes de cereais. Isso aumentará o lucro maior dos agricultores.

"O fator decisivo será se haverá água suficiente disponível", afirmou Becker.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG