Mata Atlântica compensará emissões de congresso na Espanha

Projeto de preservação de 60 hectares em ecossistema brasileiro visa compensar as emissões de gás carbônico geradas em evento

EFE |

As emissões de gás carbônico (CO 2 ) que forem geradas pelo 10º Congresso Nacional do Meio Ambiente (Conama) na Espanha, que será realizado em Madri entre 22 e 26 de novembro, serão compensadas por um projeto de preservação de 60 hectares de Mata Atlântica no Brasil.

Foi o que anunciou Gonzalo Echagüe, presidente da Fundação Conama, na qual explicou que "uma das prioridades" desta edição do evento "é reduzir a pegada ecológica do próprio congresso".

"Embora tenham ocorridos importantes avanços nesses anos, continua havendo impacto ambiental, especialmente pelos deslocamentos", destacou Echagüe.

A nona edição estimou que tenham sido geradas quase 550 toneladas de gás carbônico.

"O Conama 10 compensará as emissões dos conferentes. Os presentes serão convidados para que as compensem com a iniciativa CeroCO 2 . O dinheiro será destinado à preservação de 60 hectares de Mata Atlântica virgem no Brasil, em uma paragem denominado Serra do Lucindo", no estado de Santa Catarina, explicou Echagüe.

O projeto está promovido pela ONG espanhola Acciónatura, em colaboração com a brasileira Apremavi.

"A Mata Atlântica do Brasil é um dos ecossistemas mais ameaçados do planeta. Estima-se que restam apenas 7% de sua extensão, quando originariamente havia ocupado 15% da superfície do Brasil, equivalente a 2,5 vezes do território espanhol", destacou.

O projeto consiste na preservação da Mata Atlântica virgem restante, bem como na restauração e reflorestamento de área degradada.

    Leia tudo sobre: meio ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG