Maré negra: alarme foi desativado meses antes da explosão

Em audiência, ex-funcionário afirmou que as sondas funcionavam, mas não estavam ativadas para serem acionadas em caso de urgência

AFP |

© AP
Plataformas de perfuração no Golfo do México
Um alarme que teria advertido o pessoal da plataforma Deepwater Horizon sobre um acúmulo de gás no poço, causador da explosão que, por sua vez, acarretou a maré negra, foi desativado meses antes da catástrofe, afirmou nesta sexta-feira um ex-empregado.

Especial: Vazamento de petróleo completa três meses com poucas respostas

O sinal continha luzes e sons, para advertir sobre a presença de fogo ou um nível anormal de gases tóxicos ou explosivos, explicou Mike Williams, chefe dos técnicos em eletrônica da plataforma, durante audiência ante as autoridades americanas para falar sobre as causas do pior desastre ecológico dos Estados Unidos.

Acompanhe a evolção do vazamento do Golfo do México no infográfico do iG

Williams, que sobreviveu à explosão da plataforma no dia 20 de abril (11 mortos), assegurou que as sondas funcionavam, mas não estavam ativadas nem programadas para serem acionadas em caso de urgência.

Dirigentes da plataforma explorada pelo grupo britânico BP haviam pedido que o alarme fosse desativado porque "não queriam que as pessoas fossem acordadas às 3 horas da manhã por falsos alertas", afirmou Williams.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleoBPGolfo do México

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG