Maré negra afeta santuário de pelicanos

Petróleo cobriu as aves, que precisaram passar por um centro de auxílio para serem descontaminadas

AFP |

Um santuário de pelicanos na Louisiana, sul dos Estados Unidos, foi afetado pela maré negra que cobriu de petróleo 60 aves, entre as quais mais de 40 pelicanos, informaram autoridades americanas.

Em um comunicado divulgado na noite de quinta-feira, o centro encarregado da luta contra a maré negra do Golfo do México anunciou que a ilhota Queen Bess Island, situada na baía de Barataria, havia sido atingido pela mancha, "empurrada por fontes ventos".

"Sessenta pássaros, dos quais 41 pelicanos, ficaram cobertos de petróleo", informou o centro.

É a primeira vez que tantos pássaros são afetados simultaneamente desde a explosão da plataforma Deepwater Horizon, em 20 de abril, no Golfo do México.

As aves foram enviadas a um centro de auxílio na localidade de Fort Jackson para serem limpas. No entanto, a experiência demonstra que muitos animais morrem durante a viagem e que têm entre 50% e 70% de chances de sobreviver depois que têm retirado o petróleo do corpo.

A colônia de Bess Island tem um valor sentimental para a Louisiana, pois o pelicano foi reintroduzido neste local em 1968, depois de ter desaparecido, por causa de inseticidas. É por isso que a ilha recebe o apelido de "estado pelicano".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG