Manifestantes alemães paralisam avanço de trem com lixo radioativo

Comboio com 2,5 mil toneladas de resíduos tóxicos foi bloqueado por ativistas em vários pontos do percurso

EFE |

EFE
Polícia e ativistas entram em confronto por causa de trem com lixo radioativo
As sucessivas ações de protesto dos ativistas antinucleares alemães bloquearam neste domingo (27) o avanço do trem carregado com lixo radioativo em sua rota rumo ao depósito de Gorleben, no norte do país, apesar das fortes medidas de segurança.

Às 12h30 (de Brasília), o comboio, com 11 contêineres e 2,5 mil toneladas de resíduos tóxicos, se encontrava detido na estação de Lüneburg, a cerca de 70 quilômetros de seu destino final, após avançar menos de 35 quilômetros durante o dia.

Leia mais: Trem com resíduos radioativo gera protestos na Alemanha

A principal ação de protesto que impede a movimentação do trem está a alguns quilômetros mais adiante, em Hitzacker, onde quatro pessoas se prenderam aos trilhos por meio de um complexo mecanismo de uma tonelada de concreto e um metro de altura.

EFE
Protesto: manifestantes se amarram no trilho
As forças de segurança levam horas tentando retirar estes ativistas usando ferramentas pesadas e, aproveitando a distração, outros ativistas sentaram na via para ajudar a impedir a passagem do trem.

Os policiais conseguiram neutralizar outra grande ação dos ecologistas por volta das 5h (de Brasília), quando retiraram o último ativista de um grupo de até 2,5 mil pessoas que haviam organizado um grande protesto sobre os trilhos na localidade de Harlingen, próxima a Gorleben.

Perto dali, na noite de ontem, aconteceu uma ação do grupo ecologista Greenpeace, que conseguiu amarrar vários de seus membros aos trilhos - a Polícia demorou mais de seis horas para tirá-los do local.

Desde quinta-feira passada, um dia antes que o trem partisse da usina de resíduos de Le Hague, na França, as manifestações, ações protesto e enfrentamentos entre ativistas e policiais foram frequentes nas localidades próximas ao cemitério nuclear alemão.

A Polícia, que mobilizou 20 mil homens, afirmou que seus agentes foram atacados com coquetéis molotov e pedras, enquanto os ativistas e os meios de comunicação destacaram o abundante uso de canhões de água, balas de borracha e gás lacrimogêneo por parte das forças de segurança.

Leia também:
Milhares lembram Chernobyl e protestam contra energia nuclear
Alemães vão às ruas protestar contra uso de energia atômica
Entenda como funciona uma usina nuclear

Diferente de anos anteriores, quando preferiu optar por "diminuir a tensão, a Polícia alemã aplicou este ano uma estratégia de "tolerância zero" contra os ativistas, segundo vários meios de comunicação alemães.

Embora fontes oficiais digam que seja no domingo, ainda se desconhece quando o trem chegará a Dannenberg, última parada do trajeto e onde os contêineres devem ser transferidos para caminhões para percorrer os últimos quilômetros até Gorleben.

Há anos, a viagem deste comboio radioativo gera protestos na Alemanha, a partir de grupos contrários a energia atômica e sucessivos cortes das vias em seu trajeto até o depósito de Gorleben.

Após as grandes concentrações do ano passado, as maiores em décadas, os protestos de 2011 são os primeiros após o aprovação do "blecaute" nuclear emitido pela chanceler federal, Angela Merkel, sob o impacto da catástrofe da usina japonesa de Fukushima.

    Leia tudo sobre: ALEMANHA NUCLEAR (Atualização)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG