Mancha de petróleo pode chegar ao Atlântico Norte

Simulação do Departamento de Comércio dos EUA mostra que vazamento pode sair do Golfo do México e chegar ao oceano aberto

Valor Online |

© AP
Simulação do NCAR mostra mancha contornando a Flórida e chegando ao Atlântico Norte

O Centro Nacional para Pesquisas Atmosféricas (NCAR, na sigla em inglês), o braço de pesquisas do Departamento do Comércio dos EUA, criou uma simulação digital que mostra a direção do vazamento de petróleo provocado pela explosão em uma plataforma da petroleira britânica BP, há mais de um mês.

O trabalho evidencia que a mancha de óleo está se movendo para a Flórida, depois subirá para a Costa Leste próxima a Washington D.C e atingirá milhares de milhas no Oceano Atlântico até o fim do verão no hemisfério norte.


"Não é uma projeção, mas ilustra um caminho de dispersão provável do óleo nos próximos quatro meses de vazamento", afirmou, em nota, o NCAR. "A simulação digital indica que, uma vez que o óleo no oceano superior se arrastou rapidamente pelo Golfo do México trazido por correntes marítimas, é provável que atinja a costa do Atlântico da Flórida em semanas", completou a instituição.

O estudo assume que o derramamento de petróleo será contínuo entre 20 de abril (quando começou) até 20 de junho. O Departamento do Comércio dos EUA declarou ainda que a área do Golfo do México, incluindo a Flórida, está em situação de "desastre pesqueiro". O conceito presume que o comércio local de pesca deverá ter apoio financeiro do estado, como empréstimos de baixo custo e benefícios trabalhistas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG