Mancha de algas assusta moradores de Santa Catarina

O fenômeno é passageiro e acontece todos os anos na região

Carla Sasso Laki, iG São Paulo |

Uma mancha escura apareceu na água e na areia da praia de Itapirubá, no município de Imbituba, em Santa Catarina e assustou moradores locais que acharam que isso podia se tratar de um vazamento de óleo. O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis) chegou a investigar o caso, porém provou-se que o motivo do alarde tratava-se, na verdade, de uma "mancha" de microalgas.

Reprodução/APA Baleia Franca
Praia de Itapirubá repleta de algas

De acordo com o oceanógrafo e professor da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), que está acompanhando o caso, o fenômeno natural é causado por uma turbulência no mar. "Esse processo de deposição de algas ocorre em função da passagem de frentes frias ou ressacas. Elas (as algas) vivem depositadas bem depois da rebentação, com a agitação e o aumento da altura das ondas esse material fica em suspensão e acaba sendo levado para a praia", explica.

Reprodução/APA Baleia Franca
Incialmente, acreditou-se que a mancha
poderia ser de petróleo
O fênome passageiro é visto todos os anos do outono até o fim do inverno. "É um acontecimento recorrente aqui. Acontece em Santa Catarina e também no Rio Grande do Sul", diz Neto.

Questionado sobre a suspeita de óleo, o oceanógrafo acredita que a hipótese foi levantada a partir do caso no Golfo do México. "As pessoas estão assustadas e ficam com medo de que algo parecido possa ocorrer aqui", comenta.

A "mancha" tem poucos dias de duração e, segundo Neto, deve desaparecer em dois ou três dias.

    Leia tudo sobre: santa catarinamicroalgas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG