Maior parte do óleo derramado no Golfo do México 'desaparece'

A assessora de energia da Casa Branca, Carol Browner, afirmou que 74% do petróleo foi recolhido, queimado, se decompôs ou evaporou

EFE |

Quase três quartos do óleo vazado no Golfo do México após a explosão da plataforma petrolífera da empresa BP foram recolhidos ou se dissolveram naturalmente no oceano, assegurou hoje o Governo dos Estados Unidos.

A assessora de energia da Casa Branca, Carol Browner indicou que as avaliações feitas pelos cientistas determinaram que 74% do petróleo foi recolhido, queimado, evaporou ou se decompôs nas águas do Golfo. "A Mãe Natureza fez sua parte", disse Browner no programa "Today" da emissora "NBC" de televisão.

Acompanhe a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

A tragédia começou em 20 de abril quando explodiu a plataforma petrolífera Deepwater Horizon, que fazia uma perfuração a 1,5 mil metros de profundidade, 100 quilômetros ao sudeste do litoral do Delta do rio Mississipi, no estado americano da Louisiana.

Especial: o futuro ambiental do Golfo do México

O vazamento foi classificado como o pior desastre ambiental causado por um derrame de petróleo na história dos Estados Unidos. Segundo um estudo do Governo americano divulgado pelo jornal "The New York Times", "grande parte do resto do petróleo está tão diluído que não parece apresentar um grande risco de danos".

"Cerca de 26% do petróleo vazado do poço aberto da BP ainda está na água ou nas margens em uma forma que, em princípio, poderia causar novos problemas", continuou o artigo.

"Mas a maior parte está como uma fina camada na superfície do oceano ou se dispersou sob a superfície, e os cientistas federais acham que está se decompondo rapidamente nas duas áreas", acrescentou.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleoBPGolfo do México

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG