Líder do Congresso americano exige explicações a BP sobre vazamento

O novo diretor-executivo da empresa, Bob Dudley, se recusou a comparecer diante ao congresso para prestar explicações

EFE |

O legislador democrata Ed Markey renovou hoje seu pedido para que o novo diretor-executivo da British Petroleum (BP), Bob Dudley, compareça diante do Congresso dos Estados Unidos para dar explicações sobre o vazamento no Golfo do México que teve início em abril e só se extinguiu em setembro.

Dudley, que substituiu Tony Hayward como principal executivo da BP, recusou na sexta-feira passada uma solicitação de Markey para que comparecesse na Câmara de Representantes. Em comunicado divulgado hoje, Markey destacou que a BP continua responsabilizando outros pelo desastre ecológico e afirmou que seu comparecimento no Congresso ajudaria a petrolífera a melhorar sua imagem diante a opinião pública americana.

"O povo americano merece respostas da BP. Se a BP está verdadeiramente comprometida a reparar sua imagem diante do povo americano e de funcionários do Governo, o senhor Dudley poderia começar com um comparecimento no Congresso", disse Markey.

Representantes da BP foram ao Congresso dos EUA para analisar o impacto do vazamento de mais de quatro milhões de barris de petróleo no Golfo do México pela última vez em 17 de junho. A empresa divulgou documentos sobre sua própria investigação da explosão da plataforma petrolífera "Deepwater Horizon" e anunciou mudanças nas práticas de segurança.

Markey divulgou uma carta de Dudley de sexta-feira passada na qual este descreveu as medidas que a BP tomou para melhorar a segurança e a gestão de riscos. Na carta, Dudley disse que tem uma "enorme quantidade de trabalho" em sua transição ao novo cargo dentro da BP e que sua atenção por enquanto se centra em assegurar a tomada de "decisões corretas para o futuro da companhia e a segurança de nossa força de trabalho".

"Portanto, lamento recusar seu convite neste momento, mas espero compartilhar com os senhores nosso progresso nestas importantes mudanças", declarou Dudley na carta. Markey criticou essas declarações e as que Dudley deu nesta segunda-feira em Londres, em que criticou os meios de comunicação e as concorrentes da BP pela reação ao vazamento.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG