La Niña volta ao Pacífico tropical, com menos intensidade

De acordo com Organização Meteorológica Mundial, fenômeno começa fraco mas pode se fortalecer até o fim do ano

AFP |

O fenômeno climático La Niña reapareceu no Pacífico tropical em agosto e persistirá ao menos até o final de 2011, segundo as estimativas da Organização Meteorológica Mundial (OMM) difundidas nesta quinta-feira (17). Em comunicado, o OMM afirma que La Niña esta fraca ainda, mas a expectativa é que se fortaleça rapidamente, atingindo intensidade moderada.

"As condições características de uma anomalia do La Niña de intensidade frágil a moderada poderão persistir até o final deste ano, ou até o princípio de 2012", afirma a OMM em um comunicado.

Este episódio do La Niña poderá ser de menor intensidade que o de 2010/2011, que provocou secas e inundações em diversas partes do mundo.

Leia mais:
Alteração na temperatura dos oceanos serve de previsão sobre incêndios na Amazônia
Fenômeno "La Niña" do ínicio de 2011 é um dos mais fortes em cem anos
Fortes chuvas na Califórnia contradizem fenômeno La Niña
Anos de El Niño dobram as chances de conflitos civis, diz estudo

Aquecimento global contribuiu para inundações, diz especialista

Por outra parte, o desenvolvimento do episódio de El Niño é considerado muito improvável antes de abril de 2012.

Apesar de La Niña se caracterizar por temperaturas da superfície marinha anormalmente baixas no centro e leste do Pacífico tropical, ao contrário, El Niño se caracteriza por temperaturas de superfície marinha anormalmente elevadas.

Os especialistas consideram que os episódios El Niño e La Niña fazem parte dos principais fatores que influenciam os regimes climáticos em inúmeras regiões do mundo.

Este fenômeno meteorológico pode desencadear fortes chuvas, principalmente na Indonésia, Malásia e Austrália, assim como episódios de seca na América do Sul.

    Leia tudo sobre: la niñameteorologiaatmosfera

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG