Jacob Zuma afirma que negociações climáticas da ONU serão árduas

Presidente da África do Sul disse que cúpula de Durban só será bem sucedida se definir o futuro do protocolo de Kyoto

AFP |

O presidente sul-africano, Jacob Zuma, diminuiu as expectativas nesta segunda-feira (31) a respeito das negociações climáticas das Nações Unidas, que começarão mês que vem em seu país e que podem definir o futuro do Protocolo de Kyoto.

"Nós vamos a Durban sem qualquer ilusão de que será um passeio no parque. Ao contrário, estamos completamente conscientes de que, em algumas áreas, o interesse nacional das partes tornará o consenso um desafio", afirmou Zuma, durante encontro da Internacional Socialista em Johannesburgo.

Leia mais:
Modelo de fundo climático está pronto, diz dirigente da ONU
Cancún chega a acordo vago e com pendências
Veja cobertura do iG na COP-16
Conheça as principais medidas adotadas em Cancún

"Qualquer resultado em Durban tem que ser suficientemente adequado para aderir ao princípio da integridade ambiental. Neste contexto, o baixo nível de ambições é uma preocupação séria", acrescentou.

Tudo ou nada
O Protocolo de Kyoto, que estabelece metas de redução de gases de efeito estufa, expira ao final de 2012. Autoridades referem-se à cúpula de Durban como um encontro do tudo ou nada sobre o futuro do acordo, o único até agora a estabelecer metas legalmente vinculantes para reduzir as emissões de carbono, que os cientistas afirmam ser uma ameaça à saúde do planeta se não forem controladas.

Zuma afirmou que a cúpula de Durban, entre 28 de novembro e 9 de dezembro, será bem sucedida apenas se solucionar o futuro do Protocolo de Kyoto, conseguir um acordo sobre a natureza legal das futuras regulamentações climáticas e "operacionalizar" os acordos alcançados durante a última rodada de negociações, em Cancún.

    Leia tudo sobre: onuclimaaquecimentoáfricasul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG