Itália proíbe sacolas plásticas a partir de 1º de janeiro

País está entre os maiores consumidores de sacolas plásticas da Europa, estima-se que cada italiano use 300 sacolas por ano

AFP |

A Itália se prepara para banir as sacolas plásticas de lojas e supermercados de todo o país a partir de 1º de janeiro, quando os consumidores que aguardam as promoções de Ano Novo deverão adotar bolsas biodegradáveis, de tecido ou papel.

Os italianos estão entre os maiores consumidores de sacolas plásticas da Europa, com uma taxa de uso per capita de mais de 300 ao ano ou cerca de um quarto das 100 bilhões de sacolas plásticas importadas de China, Tailândia e Malásia, usadas em toda a Europa.

"Isto marca um passo importante na luta contra a poluição e nos torna a todos mais responsáveis na reciclagem", disse a ministra do Meio Ambiente, Stefania Prestigiacomo.

Prestigiacomo disse que o governo está lançando uma campanha de conscientização para promover o uso de sacolas feitas de materiais naturais e recicláveis, "que não devem apenas ser práticas e ecológicas, mas também ter estilo".

Grupos ambientalistas saudaram a proibição, apesar da oposição das indústrias.

    Leia tudo sobre: UEItáliaambienteplástico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG