INPE indica 485 km2 de desmatamentos na Amazônia em julho

Dados mostram diminuição de 48% de desmatamento entre agosto de 2009 e julho de 2010

iG São Paulo |

O INPE detectou 485 km2 de desmatamento na floresta amazônica. Os dados foram computados pelo sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter). O estado do Pará foi o que teve mais desmatamento (237,9 km2), seguido pelo Mato Grosso (102,2 km2).

O mês de junho fecha o ano de análises do Deter, que vai de agosto de um ano a julho do ano seguinte, e apontam tendência de queda no desmatamento da região. Nos últimos 12 meses – de agosto de 2009 a julho de 2010 – os alertas emitidos pelo sistema Deter corresponderam a 2.295,87 km2, redução de 48%. No período anterior – de agosto de 2008 a julho de 2009 – o Deter havia apontado 4.375,15 km2.

O resultado do Deter no período 2009/2010 é o menor desde a primeira medição, em maio de 2004, quando foi registrado um total de 12.310 km2 de área desmatada no país. Nos anos seguintes, o Deter registrou queda, com os seguintes números: 10.937 km2, em 2005/2006; 4.972 km2, em 2006/2007; 8.139 km2, em 2007/2008; 4.373 km2, em 2008/2009; e 2.294 km2, em 2009/2010.

Embora os números apontados pelo Deter sejam importantes indicadores para os órgãos de controle e fiscalização é importante salientar que eles indicam apenas uma tendência. Para computar a taxa anual do desmatamento por corte raso na Amazônia, o INPE utiliza o Prodes, sistema que utiliza imagens de melhor resolução espacial capazes de mostrar pequenos desmatamentos. Os dados do Prodes para o período de agosto de 2009 a julho de 2010 serão divulgados no final do ano.


    Leia tudo sobre: queimadasINPEmeio ambienteamazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG