Para secretária americana de Estado, problemas na região são ambientais e econômicos

Secretária americana de Estado (D) se reuniu, na Groenlândia, com chefes da diplomacia dos oito países que fazem fronteira com oceano Ártico
AFP
Secretária americana de Estado (D) se reuniu, na Groenlândia, com chefes da diplomacia dos oito países que fazem fronteira com oceano Ártico
A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, defendeu nesta quinta-feira (12) por um desenvolvimento econômico do Ártico "inteligente e sustentável, que preserve o meio ambiente e o ecossistema", durante uma reunião na Groenlândia dos oito países que fazem fronteira ao norte com o oceano Ártico.

"Os problemas desta região não são apenas ambientais. Há outras coisas em jogo. O derretimento do gelo, por exemplo, evocará mais transporte marítimo, mais pesca, mais turismo, e a possibilidade de desenvolver reservas de petróleo e de gás novamente acessíveis", destacou Hillary.

Os chefes da diplomacia dos oito países que fazem fronteira com oceano Ártico se reuniram nesta quinta-feira na Groenlândia para tentar acordar normas para a exploração petroleira, mineradora, pesqueira e turística de uma região na qual o aquecimento climático abre novas oportunidades econômicas, para além dos perigos ambientais.

Hillary, junto com o ministro russo Serguei Lavrov e os demais chanceleres do Conselho Ártico (Estados Unidos, Canadá, Rússia, Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca, Islândia) realiza desde as 16H00 GMT (13H00 de Brasilia) uma sessão de trabalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.