Guarda Costeira dos EUA aumenta pressão sobre BP

Planos da petroleira BP para conter o vazamento de petróleo no Golfo do México não vão longe o suficiente

BBC Brasil |

selo

Um alto oficial da Guarda Costeira americana disse neste sábado que os planos da petroleira BP para conter o vazamento de petróleo no Golfo do México não vão longe o suficiente. O almirante James Watson deu à empresa britânica 48 horas para identificar "capacidade adicional de conter o vazamento".

O alerta foi feito depois de dados do governo americano sugerirem que a quantidade de petróleo é o dobro das estimativas anteriores.

Veja o infográfico da evolução da mancha de petróleo no Golfo do México

"Porque aquelas estimativas foram agora revisadas e estima-se um fluxo consideravelmente maior de petróleo do poço Maçado 252, está claro que capacidade adicional é necessária", disse Watson em uma carta à BP.

Preocupação

A carta foi datada de 11 de junho e enviada neste sábado. "A BP precisa identificar nas próximas 48 horas uma capacidade extra de conter o vazamento que possa ser operacionalizada e apressada."

"Estou preocupado que seus planos atuais não permitem a mobilização máxima de recursos para fornecer a capacidade de coleta necessária e consistente com as estimativas revisadas", disse a carta.

A carta foi uma resposta aos planos da BP de conter o vazamento em uma operação que levará várias semanas.

O petróleo está vazando de um poço danificado a 1,5 mil metros de profundidade no Golfo do México desde a explosão da plataforma operada pela BP, a Deepwater Horizon, no dia 20 de abril, em um incidente que matou 11 trabalhadores.

    Leia tudo sobre: petroleira BPvazamento de petróleo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG