ONG fez manifestação contra exploração de petróleo em Abrolhos, área de preservação usada por baleias para se reproduzir

selo

Integrantes do Greenpeace se vestiram de baleias e foram borrifados de água com tinta no saguão da Perenco
AE
Integrantes do Greenpeace se vestiram de baleias e foram borrifados de água com tinta no saguão da Perenco
Simulando um combate entre executivos e baleias, 30 ativistas do Greenpeace promoveram hoje (30), no Rio de Janeiro, um protesto contra a Perenco, empresa franco-britânica de exploração de petróleo e gás. Segundo o Greenpeace, a empresa é dona de duas áreas que estão sendo preparadas para exploração de petróleo e gás em Abrolhos, área de preservação marinha na Bahia usada por baleias para se reproduzir. 

Em 26 de julho, o Greenpeace pediu à Perenco que adie por 20 anos a exploração mineral em uma parte dessa área para proteger as baleias, mas a petrolífera não teria dado uma resposta até o momento. Por isso, os ativistas foram ao prédio onde a Perenco funciona, em uma torre comercial ao lado do shopping Rio Sul, em Botafogo, zona sul da cidade, e fizeram a encenação no saguão.

Leia também:
Ativistas do Greenpeace protestam contra ativação de Angra 3

Os `executivos' borrifaram 'petróleo' (na verdade água com tinta preta) nas 'baleias', que 'morreram'. A encenação chamou a atenção de centenas de pessoas que transitavam pela área. Os ativistas queriam ser recebidos por funcionários da Perenco, mas não conseguiram. Acabaram indo embora depois de meia hora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.