Greenpeace promove espetáculo antinuclear na Espanha

Um mês após acidente em Fukushima, no Japão, organização promove protestos nas seis usinas nucleares espanholas

AFP |

Um mês após o acidente nuclear em Fukushima, no Japão, o Greenpeace lembrou a tragédia nesta segunda-feira (11), projetando imagens espetaculares antinucleares e mensagens em reatores espanhóis.

Em grandes letras luminosas, lançou "Nunca mais Fukushima" e "Perigo Nuclear" nas laterais das seis usinas nucleares da Espanha, assim como uma imagem da cabeça da obra-prima de Edvard Munch "O Grito", transformada em um símbolo nuclear.

A organização ambiental afirmou que quis "chamar a atenção para o funcionamento perigoso" das usinas.

O Greenpeace observou que as usinas espanholas têm uma idade média de 29 anos e "sofrem sérios problemas de segurança".

A mais velha delas, em Garona, no norte do país, entrou em operação em 1971 e tem "importantes problemas de corrosão em diversas partes de seu núcleo", afirmou o Greenpeace Espanha em um comunicado.

Um grupo defensor do meio ambiente espanhol, Ecologists in Action, descreveu Garona como a "gêmea" de Fukushima.

O governo espanhol afirmou no mês passado que irá rever as medidas de segurança em todas as suas usinas nucleares, na sequência do desastre no Japão.

O primeiro-ministro socialista, José Luis Rodriguez Zapatero, prometeu durante as eleições gerais em 2004 e 2008 eliminar gradualmente a energia nuclear à medida que a vida útil das usinas nucleares expirasse.

Mas, desde então, ele suavizou sua postura, e em julho de 2009 o governo afirmou que estenderia a licença de operações para a usina de Garona por mais dois anos, até julho de 2013.

    Leia tudo sobre: JapãodesastreacidentenuclearEspanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG