Mancha de óleo vista perto do desastre não seria de vazamento, segundo a Guarda Costeira

Barcos combatem incêndio da plataforma da Mariner Energy, no Golfo do México, na quinta (2)
AP
Barcos combatem incêndio da plataforma da Mariner Energy, no Golfo do México, na quinta (2)
O governo dos Estados Unidos iniciou na sexta-feira uma investigação sobre o incêndio na plataforma petrolífera da empresa Mariner Energy no Golfo do México , disse a Guarda Costeira.

Acredita-se que a mancha de óleo leve avistada perto do local não resulta de um vazamento, e sim da própria operação de controle das chamas, segundo uma porta-voz da Guarda.

Investigadores chegaram à plataforma e estão averiguando se realmente não há vazamento de óleo no mar. Não foram divulgados outros detalhes sobre a apuração do incidente de quinta-feira.

A causa do incêndio, que levou à retirada dos 13 ocupantes da plataforma, ainda é desconhecida.

O secretário do Interior, Ken Salazar, disse a jornalistas que o acidente não é comparável à explosão da plataforma da empresa BP, em 20 de abril, que matou 11 pessoas e deu origem ao pior vazamento marítimo de petróleo da história.

Mesmo assim, o governo prometeu uma investigação vigorosa.

"Vamos usar todos os recursos disponíveis para assegurar que descobriremos o que aconteceu, como aconteceu, e que medidas devem ser tomadas se alguma lei ou regulamento tiver sido violado", afirmou o diretor do Departamento de Administração da Energia Oceânica, Michael Bromwich.

A plataforma fica cerca de 160 quilômetros ao sul de Vermilion, na Louisiana, em águas rasas. Ela não foi afetada pela moratória de seis meses na exploração de petróleo em alto mar, imposta pelo governo depois do acidente da BP, mas que vale apenas em unidades de prospecção, e não em plataformas já em produção.

Um equipamento automático de segurança interrompeu o fluxo de petróleo e gás nos sete poços da plataforma, segundo a empresa.

Esse foi o quinto incêndio em instalações de alto mar operadas pela Mariner desde outubro de 2006, segundo dados do governo. Em dois deles houve feridos.

A última inspeção na plataforma incendiada nesta semana ocorreu em janeiro, e dados do governo mostram que havia três irregularidades leves.

As ações da Mariner fecharam em alta de quase 2 por cento na Bolsa de Nova York, cotadas a 23,16 dólares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.