Governo brasileiro quer revisar acordo de compra de ativos da BP

Aprovação para exploração em profundidades de até 2,7 mil metros ainda não foi aprovada

EFE |

O governo brasileiro decidiu revisar o acordo de compra de ativos petrolíferos pela British Petroleum (BP) em águas profundas ao grupo Devon Energy, anunciado no último dia 11 de março, seis semanas da catástrofe ecológica no Golfo do México.

Fontes da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que supervisiona a segurança na indústria petrolífera do país, disseram ao jornal britânico "The Times" que a transação ainda está sendo analisada, e a aprovação ainda não foi definida.

A diretora da ANP, Magda Chambriard, e o responsável de temas de segurança, Raphael Moura, viajarão para Houston (Estados Unidos) na próxima semana para realizar conversas com representantes da BP a respeito do acidente da plataforma Deepwater Horizon.

Em março, a BP assinou com o grupo americano Devon a compra de uma série de ativos em águas profundas no Golfo do México, Azerbaijão e nas bacias de Campos e Camamu-Almada no Brasil, que estão em profundidades de até 2.780 metros, assim como duas formas para a exploração em terra na bacia do Parnaíba.

Até agora só foi aprovada uma parte do acordo, relativa aos ativos do Golfo do México.

    Leia tudo sobre: BPvazamentodesastre ambiental

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG