Gabão faz apreensão de cabeças e mãos de chimpanzés

Cinco pessoas foram presas em uma das maiores apreensões de partes de animais selvagens para o comércio ilegal na África Central

BBC Brasil |

selo

Autoridades do Gabão realizaram uma das maiores apreensões já feitas de partes de animais selvagens para o comércio ilegal na África Central, segundo a organização ambientalista World Wildlife Fund (WWF).

Cinco pessoas foram presas em uma operação que confiscou cabeças e mãos de um gorila ameaçado de extinção, além 12 cabeças e 30 mãos de chimpanzés.

A organização pediu uma resposta firme da Justiça do país, para ajudar a coibir o tráfico.
Os animais selvagens da fauna africana são frequentemente caçados por causa da demanda no mercado ilegal de carne e de peles ou do seu uso como amuletos de boa sorte, em juju (magia negra) e na medicina tradicional.

Especialistas dizem que em áreas rurais da África central, a carne de animais selvagens é a fonte de até 80% da proteína na dieta da população.

As florestas tropicais do Gabão são abundantes em espécies como gorilas e elefantes. Um décimo do território do país é formado por parques nacionais de conservação.

Os itens encontrados na batida incluíam ainda 12 peles de leopardo, parte da pele de um leão, peles de cobra e cinco rabos de elefante.

"A coleção de espécies protegidas que foram confiscadas nesta operação é muito perturbadora", disse o representante do WWF na África David Greer.

"Que eu saiba, não houve uma apreensão de partes do corpo dessa magnitude na Africa Central nos últimos 10 anos."

De acordo com a WWF, os suspeitos devem comparecer ao tribunal nesta semana.

    Leia tudo sobre: gorilaschimpanzésgabão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG