Ex-funcionário da BP denuncia procedimentos inseguros na empresa

Especialista em perfuração disse que petroleira usou método incomum para testar dispositivo de emergência

The New York Times |

Ex-funcionário do Deepwater Horizon declarou na segunda-feira (19/07) que ele usou uma forma incomum de testar o dispositivo crítico de emergência que falhou no dia da explosão.

Acompanhe a evolução do vazamento de petróleo no Golfo do México no infográfico do iG

Leo T. Lindner, especialista em perfuração líquida pela M.I. Swaco testemunhou na audiência governamental, em Nova Orleans, que a BP deu a ele a permissão de usar um montante exagerado do fluido, chamado “spacer”, durante procedimento dos testes do blowout preventer (equipamento de segurança usado para fechar o poço).

Tal decisão vai contra o protocolo, disse Lindner, “e foi tomada porque a BP não podia determinar facilmente o excesso de líquido de modo que não violasse as leis ambientais”. “ Eu me lembro de ter visto um e-mail do especialista da BP em lodo que dizia que isto estaria OK”, disse, completando que o departamento de Meio Ambiente da Companhia também havia aprovado a manobra.

Investigadores da Guarda Costeira e do Escritório de Energia Oceânica, regulação e reforço estão reunindo os depoimentos. Eles começaram em maio, retomaram na segunda-feira, após dois meses de interrupção e devem continuar até sexta.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleoBPGolfo do México

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG