Energias renováveis devem crescer até 2050 e ficarão mais baratas

Estudo da ONU aponta que setor pode se expandir de três a 20 vezes até metade deste século

Reuters |

Energias renováveis, como eólica ou solar, têm tendência de crescimento até 2050, e os esperados avanços em tecnologia devem trazer importantes reduções de custos, mostrou um estudo da Organização das Nações Unidas divulgado nesta quarta-feira (4).

O mais abrangente panorama do setor da ONU diz que a energia renovável, excluindo-se bioenergia --que consiste basicamente na queima de madeira por países em desenvolvimento para cozinhar ou aquecimento--, pode se expandir de três a 20 vezes até metade deste século.

"O custo da maioria das tecnologias de energia renovável recuou, e significativos avanços técnicos adicionais são previstos", mostrou o Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC, na sigla em inglês) em um estudo obtido pela Reuters, baseado na revisão de 164 cenários.

"Mais reduções de custos são previstas, resultando em maior potencial de diminuição das mudanças climáticas e na redução da necessidade de medidas para garantir uma rápida implantação", disse o comitê. O IPCC se reunirá em Abu Dhabi de 5 a 13 de maio.

O IPCC disse ainda que muitos cenários apontaram para um "substancial aumento na implantação de energia renovável até 2030, 2050 e além disso."

Em 2008 a produção de energia renovável foi calculada em cerca de 12,9 por cento do suprimento global de energia primária e foi dominada pela bionenergia, com 10,2 por cento, seguido pela geração hidrelétrica, eólica, geotérmica, solar e energia dos oceanos.

A expansão projetada deve continuar mesmo sem novas medidas para promover uma transição de combustíveis fósseis, como parte de uma luta liderada pela ONU contra a mudança climática, disse o IPCC.

    Leia tudo sobre: MUNDOENERGIAONURENOVAVEIS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG