Isso não acontecia desde 1992. Crise econômica freou as emissões dos países desenvolvidos

As emissões globais de gases de efeito estufa do setor industrial permaneceram estáveis em 2009, fato que não ocorria desde 1992. Embora as emissões dos países ricos tenham caído 7% no ano passado em decorrência da crise econômica, o aumento das emissões em países como China e Índia fizeram a diferença.

Os dados fazem parte de um levantamento divulgado ontem pela Agência Holandesa de Avaliação Ambiental, um dos principais órgãos de pesquisas da Europa, mantida pelo governo da Holanda. A pesquisa leva em consideração atividades industriais poluentes, como extração e refino de combustíveis fósseis, produção de cimento, siderurgia e indústrias químicas, entre outras. O cálculo não leva em conta, no entanto, as emissões causadas pelo desmatamento, queimadas e biomassa em decomposição, o que poderia elevar o volume de carbono emitido pelos países em até 20%.

O relatório aponta também que a China, cujas emissões cresceram 9% no ano passado, superou os Estados Unidos como maior poluidor do mundo. Os chineses mais que dobraram suas emissões em relação ao ano de 2000. Ao mesmo tempo, o país despontou como o principal investidor em energias renováveis, como eólica e solar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.