George Buck afirmou que situação foi muito complicada nos primeiros dias do acidente na bacia de Campos

selo

Presidente da Chevron no Brasil afirma que plano de emergência será mantido até que a mancha seja eliminada
AE
Presidente da Chevron no Brasil afirma que plano de emergência será mantido até que a mancha seja eliminada
O presidente da Chevron Brasil Petróleo, George Buck, afirmou que a empresa trabalhou com "total transparência" com as autoridades brasileiras em relação à divulgação das informações do vazamento e a atuação da empresa para conter o incidente.

Ele observou, no entanto, que a situação foi muito complicada nos primeiros dias do acidente. "No primeiro dia, a divulgação das informações com transparência foi muito difícil", admitiu.

Buck afirma que o plano de emergência da Chevron será mantido até que a mancha de óleo no litoral do Rio de Janeiro seja completamente eliminada. "Vamos continuar com nosso plano de reação até que não haja nenhuma gota na superfície", garantiu o executivo, durante audiência pública na Câmara dos Deputados.

Leia também:
Chevron perdeu US$ 26 bilhões em valor de mercado desde acidente na Bacia de Campos
Chevron pode pagar R$ 260 milhões em multas
Chevron é multada em R$ 50 milhões pelo Ibama
Chevron afirma que volume do vazamento é de 2.400 barris de petróleo
ANP autuará Chevron com três multas

Segundo Buck, a Chevron "considera que uma só gota na superfície é inaceitável". O vazamento de óleo foi de cerca de 2,4 mil barris de petróleo, mas o executivo afirmou que o não houve nenhum dano à vida selvagem em decorrência do incidente.

Buck destacou também que a companhia quer continuar sendo parceira do Brasil na exploração de petróleo. "Queremos continuar sendo parceiros do Brasil no destino de tornar uma super potência", disse.
Veja também:
Deputado quer convocar Chevron para explicar vazamento na Câmara
'Destino do petróleo que vaza no mar é loteria', diz especialista
PF vai indiciar Chevron por dois crimes ambientais
Chevron assume 'total responsabilidade' por vazamento
Vazamento está na rota de baleias e golfinhos, alerta secretário

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.