Discussão na Rio+20 se dará sem "fantasias", diz Dilma

Presidenta afirmou que missão da conferência é propor novo paradigma de crescimento, que não pareça absurdamente etéreo

Reuters |

A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (4) que o Brasil irá assumir a liderança nas propostas a serem apresentadas durante a conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20 , e que as discussões não podem se dar sobre "fantasias".

A conferência de junho, no Rio, deverá focar o desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza, debatendo temas como produção de alimentos e acesso à água e à energia. A expectativa é que o encontro produza resultados mais práticos, ao contrário das últimas reuniões entre países, que tiveram como ponto central as mudanças climáticas e metas para a redução do aquecimento global.

Leia mais:
Rio+20 deve discutir 3 opções para a reforma do PNUMA
Mais de 100 chefes de estado devem discursar na Rio+20
Coordenador da Rio+20 afirma que Brasil deve liderar sustentabilidade
Agência Nacional de Águas questiona relevância do tema na Rio+20

"Desta vez eu acho que nós temos uma missão até mais difícil que isso, que é propor um novo paradigma de crescimento, que não pareça a alguns absurdamente etéreo ou fantasioso. Porque ninguém numa conferência dessas aceita discutir a fantasia. Ela não tem espaço, a fantasia", disse Dilma, após reunião do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, no Palácio do Planalto, e citando matrizes energéticas como exemplo.

Veja outras matérias sobre a Rio+20

"Eu tenho que explicar para as pessoas como é que elas vão comer, como é que elas vão ter acesso à água, como é que elas vão ter acesso à energia."

O encontro da ONU, que ocorre 20 anos após a Rio 92, pretende definir uma agenda para o desenvolvimento sustentável nas próximas décadas.

"Vamos explicitar uma discussão que até então estava debaixo da mesa, que é essa a do desenvolvimento sustentável.. Sempre tivemos um papel de liderança em todas as conferências das partes... Teremos de manter a liderança no sentido de discutir de forma clara que cidades sustentáveis são essenciais".

    Leia tudo sobre: rio+20conferêncianegociaçõesrio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG