Dezessete capitais participarão da Hora do Planeta

Brasil participa de campanha mundial para conscientização dos problemas das mudanças climáticas

AE |

selo

As prefeituras de Salvador e Florianópolis confirmaram hoje (25) sua participação na Hora do Planeta. Ao todo, são dezessete as capitais brasileiras, inclusive São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Curitiba e João Pessoa, engajadas na ação que busca chamar a atenção para questões ambientais.

Leia mais:
Monumentos de todo o mundo apagarão as luzes contra mudança climática

Criada pela ONG WWF, a Hora do Planeta é uma ação simbólica, promovida em 134 países e 3.800 cidades, na qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos no sábado, 26, das 20h30 às 21h30. A estimativa é de que mais de 1 bilhão de pessoas participem do evento, que ocorre desde 2007. Em homenagem às vítimas da tragédia no Japão e das enchentes do começo do ano no Brasil, neste ano o primeiro minuto, em silêncio, será em lembrança aos afetados pelas intempéries e tremores.

De acordo com o coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, Carlos Rittl, a Hora do Planeta é "um ato simples que busca chamar a atenção das pessoas para o cuidado que temos que ter com o planeta. A ação simbólica é um chamado para a reflexão, para o questionamento de como estamos contribuindo no dia a dia para um mundo melhor e sustentável". Na avaliação dele, no Brasil o evento também chama a atenção para questões específicas internas, como o desperdício da água e a preservação das florestas.

Segundo a ONG, no Brasil 98 cidades registraram formalmente a participação, indicando monumentos que terão suas luzes desligadas. Na capital paulista, serão desligadas as luzes do Estádio do Pacaembu, da Biblioteca Mário de Andrade e dos Arcos do Anhangabaú, além da Ponte Estaiada, o Obelisco do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras, o Teatro Municipal e o Mercado Municipal.

Público

No Rio de Janeiro, cidade âncora do movimento no Brasil, serão apagados os ícones Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Igreja da Penha, Castelinho da Fiocruz, Monumento aos Pracinhas e os Arcos da Lapa. O País terá pela primeira vez um evento aberto ao público que marca o início da Hora do Planeta a partir das 19 horas, nos Arcos da Lapa, com presença prevista da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Após o minuto de silêncio, o público assistirá à apresentação das baterias das escolas de samba Mangueira, Portela, Grande Rio e União da Ilha. De acordo com Rittl, outras capitais poderão ter eventos parecidos nas próximas edições. "A junção entre consciência ambiental e cultura ajuda a chamar mais a atenção para a nossa causa", falou.

Na capital baiana, de acordo com a prefeitura, ficarão apagados o palácio Thomé de Souza, o Elevador Lacerda, as estátuas dos Orixás do Dique do Tororó, a Praça Castro Alves (estátua do poeta), a estátua do Cristo, o Farol da Barra, além dos monumentos Clériston Andrade, Estação da Leste e Abaeté.

Em comunicado, o prefeito soteropolitano, João Henrique, disse que "Salvador não poderia ficar de fora desse movimento que chama a atenção para promoção da sustentabilidade ambiental, uma vez que este é um fio condutor de nossas políticas e estratégias operacionais", citando ações da municipalidade como a troca pela administração em locais públicos de lâmpadas que consomem menos energia.

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) também aderiu ao movimento, sendo o primeiro órgão do gênero no País a fazer parte da ação. O TJ-BA irá apagar as luzes dos prédios e fóruns judiciais. O objetivo do órgão é de que magistrados e servidores, que chegam a 11 mil, multipliquem a ideia com suas famílias, amigos e comunidade. Em Brasília, serão apagadas as luzes do Palácio do Buriti e Anexo, Memorial JK, Teatro Nacional, Catedral, Museu do Índio, Complexo Cultural da República e Ponte JK.

Mobilização
Conforme comunicado da ONG, no Brasil, "ao todo, 1.514 empresas e organizações se cadastraram no site www.horadoplaneta.org.br , que traz histórias e dicas sobre como participar, além de materiais promocionais como banners, filmes, cartazes, imagens, papéis de parede, protetores de tela e twibbons para twitter e facebook".

Este ano, 13 novos países aderiram à ação. São eles: Jamaica, Uganda, Suazilândia, Irã, Tajiquistão, Chade, Azerbaijão, Gibraltar, Palestina, Suriname, Usbequistão, Trinidad e Tobago e Lesoto. Fazem parte também metrópoles como Nova Délhi, Mumbai, Buenos Aires, Moscou, Teerã, Istambul e Londres.

A organização receberá até as 16 horas de amanhã (hora de Brasília) os termos de adesão, para oficializar a participação de municípios. Também assinaram o termo de adesão as capitais Aracaju (SE), Campo Grande (MS), Goiânia (GO), Natal (RN), Palmas (TO), Recife (PE), Rio Branco (AC), Teresina (PI) e Vitória (ES).

    Leia tudo sobre: hora do planetawwfmeio ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG