Desmatamento da Amazônia cresce 144,4% em relação ao ano passado

No mês de maio foram 268 km² de área desmatada, de acordo com dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE)

iG São Paulo |

Reprodução
Em maio, a Amazônia teve 268 km² de área desmatada, de acordo com o INPE
O desmatamento na Amazônia em maio aumentou 144,4% em relação mesmo mês de 2010. Foram 268 km² de área desmatada contra 109,6 km2 no mesmo período do mês do ano passado. Mato Grosso foi o estado que mais contribuiu para a perda da floresta, com 93.7 km 2 de área desmatada, seguido por Rondônia (67,9 km²) e Pará (65,5 km²). Os dados foram divulgados hoje (30) pelo sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter) do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE).

No entanto o desmatamento caiu em relação as dados anteriores que abrangem os meses de março e abril de 2011, quando 593 km 2 de área foram desmatados. Mato Grosso também foi o estado que mais desmatou com 480.3 km 2 , seguido ppor Pará (67.2 km 2 ) e Rondônia (41.3 km 2 ).

Na época, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, considerou o crescimento do desmatamento concentrado em Mato Grosso “absolutamente inusitado” e decidiu instalar um gabinete de crise para apurar esse aumento. Duas semanas depois, o ritmo dos motosserras diminuiu de 175 km 2 para 17 km 2 .

No mês passado o Deter também identificou aumento do desmatamento em relação ao mesmo período de 2010. Mato Grosso também foi o Estado que mais desmatou.

O Deter é um sistema de alerta para suporte à fiscalização e controle de desmatamento de áreas maiores do que 25 hectares. O Inpe desaconselha a comparação entre dados de os mesmos meses dos anos anteriores, por causa da diferença na cobertura de nuvens entre os períodos e, também, da resolução dos satélites.

Veja o vídeo:

Caso não consiga ver o vídeo, clique para assistir na TV iG: Desmatamento da Amazônia cresce 144,4% em relação ao ano passado

A taxa anual de desmatamento é calculada por outro sistema, o Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que é mais preciso, por avaliar áreas menores. Apesar da metodologia diferente, a avaliação do Deter costuma antecipar os resultados do Prodes.

Outra medição tem salto mais modesto
O aumento do desmatamento também foi divulgado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (INPA). De acordo com dados do Boletim Transparência do Imazon, desmatamento da floresta Amazônica aumentou 72% em maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo o estudo, no mês de maio foram 165 quilômetros quadrados desmatados contra 96 quilômetros quadrados no mês equivalente em 2010. A responsabilidade pelo desmatamento total da Amazônia recai sobre o Pará, que responde por 39%, sobre o Mato Grosso, com 25%, e Rondônia, com 21%. Em seguida Amazonas aparece com o equivalente a 12% da área desmata, seguida por Tocantins, com 2,5%, e Acre, com 0,1%.

Apenas 47% da área florestal na Amazônia Legal foi monitorada pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) em maio de 2011. A cobertura não foi possível em todo o território já que 53% do território estava cobertos por nuvens. Mais de 80% da área florestal da região central e norte do Pará, além do Amapá e Roraima, estiveram cobertos por nuvens.

(Com informações da Reuters e da AE)

    Leia tudo sobre: desmatamentoamazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG