Deputado é multado por incendiar floresta do Pará

Junior Coimbra (PMDB) terá que pagar R$ 3 milhões por crime ambiental. Ele já foi multado outras duas vezes pelo Ibama

Wilson Lima, iG Maranhão |

O deputado federal Junior Coimbra (PMDB/TO) foi multado em R$ 3,06 milhões pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais ( Ibama ) na quinta-feira última (28) por ter desmatado, com uso de fogo, 153 hectares de floresta nativa amazônica (equivalente a 153 campos de futebol) em processo de recuperação em São Félix do Xingu, cidade a 694 quilômetros de Belém. O deputado classificou o incêndio como acidental e diz que vai recorrer da multa aplicada pelo órgão.

Leia também: Desmatamento da Amazônia cresce 16% em relação ao mês de maio

Luciano Silva/Ibama
Trecho de floresta queimada em São Félix do Xingu, cidade a 694 quilômetros de Belém
A mata ficava na fazenda Vale da Cachoeirinha, de propriedade do deputado, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Triunfo do Xingu. Segundo informações do Ibama, Junior Coimbra possui na região 800 cabeças de gado. A fazenda está avaliada em R$ 2 milhões.

Pelas informações do Ibama, cinco motosserras da fazenda do deputado foram apreendidas. O Ibama também embargou todas as atividades que estavam sendo realizadas no local e que ameaçavam a regeneração da floresta na região.

Divulgação
O deputado Júnior Coimbra (PMDB/TO)
Segundo o Ibama, a irregularidade foi detectada quando fiscais identificaram por imagens de satélite uma grande cortina de fumaça pela região. “A floresta em médio estágio de sucessão estava sendo derrubada e queimada sem critério algum para ampliar a pastagem da fazenda”, disse o coordenador da operação em São Félix do Xingu, o analista ambiental Luciano Silva, por meio da assessoria de imprensa do Ibama.

O pemedebista afirmou que “não tinha interesse nenhum” no incêndio. “Foi um fogo acidental, não foi criminoso”, disse o deputado. Ele afirmou que vai investigar como aconteceu o incêndio para recorrer da multa. “Deu um prejuízo imenso. Houve queimada de cerca, além da multa. Mas não havia preparação de terreno com fogo”, reiterou.

Essa foi a terceira multa aplicada contra o pemedebista por desmatamento ilegal em São Félix do Xingu. As outras duas foram aplicadas em 2005. Uma no valor de R$ 436,9 mil e outra de R$ 291,3 mil. O deputado recorreu contra as duas punições.

A cidade de São Félix do Xingu é lider em desmatamentos no Pará, segundo o Ibama. Desde março, o órgão realiza na cidade a Operação Disparada de combate aos desmatamentos ilegais no município. Em cinco meses de operação, cerca de R$ 100 milhões já foram aplicados em multas apenas em São Félix do Xingu. A Operação Disparada também já apreendeu 505,9 m³ de madeira serrada, 958 m³ de madeira em tora, 33 motosserras, 24 caminhões, 13 tratores e duas caminhonetes.

    Leia tudo sobre: florestaAmazôniaParáSão Félix do Xingu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG