Cursos d'água da Mata Atlântica têm qualidade regular

Estudo da Fundação SOS Mata Atlântica apontou que 25% de rios e lagos têm qualidade de água ruim

AE |

selo

Vinte e cinco por cento dos corpos d’água (rios, lagos e córregos) localizados no bioma Mata Atlântica têm qualidade de água ruim. É o que aponta estudo feito pela Fundação SOS Mata Atlântica ao longo de 2010. No período, o projeto da ONG visitou 39 cidades, onde a população pôde participar de atividades de educação ambiental. Uma delas foi a coleta de água para análise de qualidade de ao menos um corpo d’água local, possibilitando a realização de 43 avaliações. Entre os corpos d’água monitorados, 70% foram classificados como de qualidade regular, 25% dentro do nível ruim e 5% no nível péssimo.

As análises que tiveram o melhor resultado foram as do Rio Doce, em Linhares (ES), e a da Lagoa Maracajá, localizada em Lagoa dos Gatos (PE), ambas em nível regular. O Rio Tietê, monitorado em Mogi das Cruzes, também registrou qualidade de água regular. As piores análises vieram do Rio Verruga, em Vitória da Conquista (BA), e do Lago do Quinta da Boa Vista (RJ), ambas classificadas como péssimas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: águasos mata atlântica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG