Corrente das Agulhas é fundamental para controle do clima global

Estudo questiona prognóstico do IPCC de que ocorrerá esfriamento do Atlântico Norte como resposta aos efeitos da mudança climática

EFE |

As águas que circulam do oceano Índico em direção ao extremo sul da África através da corrente das Agulhas desempenham um papel importante nas variações do clima no planeta, segundo aponta um estudo publicado na última edição da revista "Nature".

Um grupo de cientistas liderado pela pesquisadora da Universidade de Miami (EUA) Lisa Beal explica que essa corrente afeta a circulação de águas no Atlântico e poderia influir nos níveis de concentração de dióxido de carbono na atmosfera, dois fatores relacionados ao controle do clima.
A corrente das Agulhas, um dos sistemas mais importantes do Hemisfério Sul, introduz no Atlântico águas quentes e salgadas provenientes do Indo-Pacífico.

Quando chegam ao Atlântico, essas águas fluem em direção ao Hemisfério Norte e reforçam a circulação oceânica que distribui o calor das regiões tropicais para as polares, e sem a qual não se compreenderia o clima terrestre.

Segundo pesquisas recentes, nas últimas décadas houve um aumento do fluxo de água da corrente das Agulhas rumo ao Atlântico, devido à mudança climática induzida pelo homem.

Este fenômeno reforçaria ainda mais a circulação oceânica no Atlântico, uma tese que contrasta com os prognósticos de que o aquecimento e o derretimento das calotas polares a enfraqueceriam.

A circulação é produzida por diferenças de densidade, ou convecção, com as massas mais densas tendendo a afundar e as menos densas, a ascender. A densidade diminui quando há aumento de temperatura e cresce com a salinidade.

"Isto poderia significar que os prognósticos do grupo intergovernamental de analistas sobre mudança climática da ONU (IPCC) para o próximo século são incorretos e não ocorrerá um esfriamento do Atlântico Norte como resposta aos efeitos da mudança climática global sobre a América do Norte e Europa", afirma Beal.

Segundo Eric Itsweire, diretor do programa oceanográfico da National Science Foundation, que financiou o estudo, em um clima mais quente o sistema de correntes das Agulhas poderia levar mais água quente e salgada do Oceano Índico ao Oceano Atlântico e resistir assim aos efeitos contrários do Oceano Ártico.

Os cientistas, que utilizaram os estudos paleo-oceanográficos disponíveis e as pesquisas modernas sobre o clima para determinar o papel da corrente das Agulhas na circulação oceânica e no clima do planeta, pretendem fazer pesquisas mais exaustivas sobre o assunto.

    Leia tudo sobre: EUACIÊNCIA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG