Chevron diz que novo vazamento no Brasil é diferente do anterior

Estudos técnicos apresentados pela empresa dizem que a composição do petróleo é diferente da registrada no vazamento de novembro

iG São Paulo |

Divulgação
Imagem submarina mostra as pequenas gotas de petróleo que estão vazando no Campo Frade, no litoral fluminense
A Chevron, segunda maior companhia de petróleo dos Estados Unidos, informou nesta quarta-feira (21) que o petróleo do último vazamento no campo do Frade, na bacia de Campos (litoral do Rio), não está relacionado quimicamente ao ocorrido em novembro.

Testes feitos pela IPEX-Brazilian Petroleum Expertise Co. mostraram que o petróleo possui características químicas diferentes das registradas no vazamento de novembro do ano passado e que não possui traços de lama de perfuração, o que significa que ele não é residual do caso de novembro, disse o porta-voz da companhia, Kurt Glaubitz, em resposta enviada por e-mail à questões da Reuters.

O petróleo da rachadura encontrada este mês, que totalizou cerca de 1 barril, também é de um tipo mais pesado que o petróleo do poço de exploração que vazou em novembro , disse a Chevron.

No último dia 15, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis informou que havia um novo vazamento de petróleo na Bacia de Campos (RJ), no Campo Frade, no Norte Fluminense, a mesma região onde ocorreu, em novembro do ano passado, outro incidente envolvendo a petroleira americana Chevron.

Leia:
"Protocolos de segurança devem ser cumpridos", diz Dilma Rousseff

ANP não descarta ligação entre vazamentos no Campo de Frade

O local do atual vazamento fica a três quilômetros do poço onde aconteceu o vazamento da Chevron em novembro, que derramou dez mil litros de petróleo no mar. A mancha foi identificada no último dia 4 e no dia 13 os técnicos da Chevron descobriram que se sua origem é de uma fissura de 800 metros de comprimento.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) está acompanhando o caso e a Justiça que impedir a saída dos funcionários da companhia do país. Na terça-feira, a 1ª Vara Federal de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, decidiu que os executivos das empresas Chevron Brasil e Transocean Brasil terão que entregar seus passaportes em um prazo de 24 horas. O tempo começa a valer a partir do momento em que os réus receberem a intimação.

Entenda o caso:
Promotoria diz que Chevron errou ao perfurar poço
Senadores vão ouvir representantes da Chevron
Chevron divulga vídeo com imagens do vazamento
Situação em bloco da Chevron está fora de controle, diz PF
Ministério Público prepara ação penal contra Chevron
Executivos da Chevron são impedidos de deixar o Brasil
Detectada mancha de óleo de 1km do vazamento da Chevron
ANP diz que há novo vazamento da Chevron na Bacia de Campos
Para Ibama, trata-se de uma ocorrência natural
Minc afirma que faltou transparência por parte da Chevron
ANP quer mais dados para suspensão de produção da Chevron
Perfuração pode ter causado hecatombe, diz delegado da PF

(Com informações da Reuters)

    Leia tudo sobre: vazamento de petróleoanpchevronbacia de campos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG