Carbono negro aumenta efeito das mudanças climáticas

Segundo estudo, fuligem proveniente da queima de madeira e carvão é um dos farores que mais agravam o aquecimento global

Agência Estado |

O aumento das taxas do chamado carbono negro na atmosfera acelera o aquecimento global, segundo estudo realizado pelo Instituto Scripps de Oceanografia de La Jolla, na Califórnia, Estados Unidos, e publicado na revista científica Nature. O carbono negro é a fuligem proveniente da queima de biomassa, como lenha e carvão, e também de combustíveis fósseis.

Segundo o estudo, os aerossóis de carbono negro absorvem a radiação solar, o que transforma o componente em um dos fatores que mais agravam o aquecimento global, atrás apenas do dióxido de carbono.

O estudo mediu as concentrações de fuligem em diferentes pontos da China. Uma das conclusões é que, como o carbono negro permanece na atmosfera por poucas semanas, a redução dessa fonte de emissões poderia ser uma das formas mais rápidas de mitigar as mudanças climáticas no curto prazo.

    Leia tudo sobre: aquecimento globalfuligemcarbono

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG