Briga mata primeiro bebê gorila do zoo de Londres em 20 anos

Filhote batizado de "Tiny" foi morto por um macho da mesma espécie

BBC Brasil |

selo

O primeiro gorila bebê a nascer no Zoológico de Londres em mais de 20 anos foi morto por um macho da espécie após dificuldades de adaptação. O zoo qualificou de "triste" a morte de Tiny, ou Pequenino, que vinha fazendo sucesso com o público desde que nasceu, em outubro do ano passado, aparecendo sempre agarrado à mãe, a gorila de 12 anos Mjukuu.

Tiny era um gorila-ocidental-das-terras-baixas (Gorilla gorilla gorilla), subespécie que habita as florestas tropicais de países africanos como Angola, Gabão, Congo e Camarões. Estes animais são considerados pela União Internacional de Conservação da Natureza como espécie ameaçada por caça ilegal, doenças e perda de seu habitat natural. Mãe e filho dividiam o mesmo espaço no Zoológico de Londres com outras duas fêmeas, Zaire, de 36 anos, e Effie, de 17.

Desentendimento

Em um comunicado, o zoológico informou que o bebê foi gravemente ferido durante um desentendimento entre a mãe e o gorila macho Kesho, trazido ao zoo em agosto do ano passado após a morte do macho dominante anterior.

"Kesho foi gradualmente apresentado a Effie e Zaire, mas esperamos meses até estar confiantes de que tínhamos as melhores chances de apresentar Kesho a Mjukuu e o bebê. Todos os sinais indicavam que os gorilas estavam prontos, mas o resultado nunca pode ser antecipado com certeza", disse o comunicado.

Entretanto, explicou a instituição, "gorilas têm uma estrutura social complexa, que torna a tarefa de introduzir novos animais a um grupo em algo extremamente difícil". "Na natureza, é comum gorilas machos atacarem os filhotes de seus rivais, de forma que introduzir um bebê gorila sem parentesco a um macho dominante é particularmente complicado, mas era essencial a fim de manter um grupo social coeso."

Kesho e Mjukuu já tinham se desentendido uma vez. Na segunda, houve uma briga e Tiny sofreu uma fratura no braço. Ele foi levado às instalações veterinárias para ser operado, mas, quando os veterinários o tiraram da anestesia, ele não conseguia respirar por conta própria.

Os especialistas suspeitaram de hemorragias internas, que serão verificadas quando for realizado o exame de óbito. O zoológico disse que o animalzinho foi entregue de novo à mãe, para que ela possa aceitar o fato.

"A morte de um bebê é uma grande perda para o zoológico, especialmente para os nossos tratadores e veterinários, que trabalham incansavelmente com nossos gorilas", disse a nota da organização. Segundo o zoo, os tratadores continuarão tentando introduzir Kesho às fêmeas, a fim de criar um grupo "estável e seguro".

    Leia tudo sobre: meio ambientegorilazoológicolondres

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG