Brasil pode crescer com menor impacto ambiental, diz relatório

Banco Mundial divulga estudo que projeta crescimento econômico com reduções de 36% de gases poluentes

EFE |

Um relatório do Banco Mundial (BM) divulgado hoje afirma que o Brasil está em condições de manter níveis altos de crescimento econômico mesmo reduzindo em até 36% suas emissões de gases poluentes.

O estudo sustenta que, para alcançar essa taxa de redução de emissões, durante os próximos 20 anos o Brasil deve investir US$ 750 bilhões em projetos ambientais, um número que duplica as previsões do país para isso.

Esses investimentos, segundo o banco, deveriam ser dirigidos especialmente a projetos de geração de energia limpa, mudanças no uso das terras cultiváveis e proteção de selvas, modernização dos sistemas de transporte e manejo de resíduos.

Segundo o Banco Mundial, esses investimentos seriam menores do que o país deverá gastar para remediar os efeitos de seu atual nível de emissões de gases tóxicos, entre os mais elevados do planeta.

O diretor do BM para o Brasil, Makhtar Diop, declarou ao apresentar o relatório que "a consolidação desse cenário de redução de emissões é um grande desafio em termos de planejamento e também de financiamento".

Diop afirmou que esse rebaixamento da contaminação produzida no país equivaleria a "retirar de circulação todos os automóveis do planeta durante três anos". Nesse sentido, alertou que "não fazer nada será muitíssimo mais custoso, tanto em termos de impacto nacional como global".

Também destacou que, segundo as conclusões do estudo, "os resultados de uma iniciativa dessa natureza teriam um impacto positivo no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e na geração de emprego".

    Leia tudo sobre: crescimento econômicobrasilbanco mundial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG