BP tem 1º êxito em trabalhos para conter vazamento

Apesar de não coletar todo o óleo vazado, a cúpula ajuda a reduzir a quantidade que é lançada no mar diariamente

Reuters |

A gigante de energia BP conseguiu no último domingo o primeiro êxito nos trabalhos para conter o óleo que está vazando na costa norte-americana do Golfo do México e disse que deve contê-lo permanentemente em cerca de uma semana.

AP
Barco tenta recolher óleo da superficie do mar
"Por enquanto, está funcionando muito bem," disse o vice-presidente executivo sênior, Kent Wells, a repórteres durante uma coletiva na sede da BP, em Houston, nos EUA.

O petróleo tem jorrado, sem controle, para o mar de um poço subterrâneo que se rompeu no Golfo do México, a cerca de 1,6 km de profundidade, ameaçando se transformar uma calamidade ambiental e econômica na costa dos EUA, ao longo do Golfo.

Depois que outras tentativas de conter o vazamento falharam, a BP conseguiu inserir um tubo no poço que está vazando e capturou parte do óleo e do gás, de acordo com uma declaração divulgada no site mantido pela BP e agências do governo norte-americano.

A operação foi interrompida momentaneamente, quando o tubo se desalojou, disse o comunicado, mas os técnicos inspecionaram o sistema e conseguiram inseri-lo novamente, com sucesso.

"Apesar de não coletar todo o óleo que vaza, essa ferramenta é um passo importante para reduzir a quantidade de óleo que está sendo lançado nas águas do Golfo," dizia o comunicado.

"Podemos dizer que o conceito foi provado," disse uma fonte próxima.

"Na tentativa de sábado, uma mangueira levando o óleo até a superfície ficou presa. O gás foi levado à superfície e queimado. O óleo entrou no cano, mas não chegou à superfície," disse a fonte.

O conserto envolve guiar robôs submarinos para inserir um pequeno tubo dentro de outro tubo de 53 cm, conhecido como um condutor (riser), para canalizar o óleo até um navio na superfície.

Autoridades disseram que, até agora, o vazamento teve um impacto mínimo sobre o litoral e os animais, mas restos do óleo e bolas de alcatrão estavam aparecendo nas barreiras e em praias afastadas em pelo menos uma dúzia de lugares na Luisiana, Alabama e no Mississipi.

O vazamento começou depois de uma explosão na plataforma Deepwater Horizon, que matou 11 trabalhadores, no dia 20 de abril,.

Este desastre ameaça eclipsar o vazamento de óleo do navio Exxon Valdez, no Alaska em 1989, que foi considerado o pior desastre ecológico dos EUA.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleogolfo do méxicoeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG