BP suspende pagamentos para priorizar gastos com vazamento

Presidente da empresa comunicou a decisão após encontro com Obama

EFE |

Washington, 16 jun (EFE).- O presidente da empresa British Petroleum (BP), Carl-Henric Svanberg, anunciou hoje que a companhia deixará de pagar os dividendos trimestrais deste ano para priorizar as despesas causadas pelo vazamento de petróleo no Golfo do México. "A decisão foi tomada pelo conselho de administração da BP", disse Svanberg, depois de se reunir com outros executivos da companhia e com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na Casa Branca.

Desta forma, a empresa economizará em torno de US$ 7,5 bilhões. A decisão foi bem recebida pelos mercados. A BP fornecerá US$ 20 bilhões a um fundo de compensação para os afetados pelo derramamento e criará outro fundo de US$ 100 milhões para indenizar as pessoas que ficaram sem trabalho após a explosão em abril da plataforma petrolífera que a companhia operava no Golfo. "Deixamos claro desde o primeiro momento desta tragédia que assumiríamos todas as responsabilidades", destacou o diretor da BP, que apontou que o pagamento será feito de forma "rápida e justa". "Indenizaremos as pessoas prejudicadas e repararemos o dano ambiental e econômico na região", afirmou.

O desastre no Golfo do México começou com a explosão em 20 de abril e consequente afundamento, dois dias depois, da plataforma petrolífera Deepwater Horizon, em um incidente no qual morreram 11 trabalhadores. Desde então, o poço aberto no fundo do mar libera petróleo às águas do Golfo, causando a maior tragédia ambiental da história dos EUA. EFE tb/ab-sa

    Leia tudo sobre: vazamentobp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG