BP inicia captura parcial de óleo que vaza no Golfo do México

Funil de contenção está funcionando, mas captará apenas mil dos 19000 barris de petróleo despejados diariamente no Golfo do México

Reuters |

© AP
Pelicano sujo de óleo na ilha East Grand Terre, na Louisiana
A BP começou na sexta-feira a capturar parte do óleo que está jorrando há 46 dias no Golfo do México, depois de instalar um funil de contenção sobre o poço cuja tubulação está rompida.

O presidente dos EUA, Barack Obama, deve fazer sua terceira visita à região atingida pelo desastre.

Executivos da BP buscaram tranquilizar investidores da empresa com uma teleconferência, mas adiaram uma decisão sobre a possíveis suspensão do pagamento de seu próximo dividendo trimestral, como exigiram alguns políticos dos EUA.

Os preços das ações da companhia oscilaram em Londres e Nova York enquanto o CEO da empresa, Tony Hayward, respondia a perguntas. Hayward disse que a empresa tem dinheiro bastante para cumprir suas obrigações, incluindo 5 bilhões de dólares em dinheiro vivo e linhas de crédito adicionais às quais poderá recorrer se for necessário. A companhia já gastou bem mais de 1 bilhão de dólares em sua resposta ao desastre.

A Guarda Costeira dos EUA disse que o funil de contenção colocado sobre o vazamento, 1,6 quilômetro sob a superfície do Golfo, está recebendo agora cerca de 1.000 barris de óleo por dia.

Foi um sinal de progresso, após várias tentativas fracassadas da gigante energética. Mas as autoridades norte-americanas desaconselharam um excesso de otimismo, já que grande volume de óleo ainda está escapando.

A BP prevê que não poderá conter totalmente o fluxo de óleo até agosto, quando serão completados dois poços que estão sendo perfurados para desviar o óleo que está vazando do poço rompido.

A quantidade de óleo capturada deve aumentar, à medida que a BP for fechando orifícios de vazão de modo a capturar mais óleo, disse o almirante Thad Allen, da Guarda Costeira, a repórteres em teleconferência.

"Mais tarde hoje provavelmente poderemos ter uma ideia aproximada de quanto óleo estamos capturando", disse Allen.

Na manhã da sexta-feira, o executivo operacional chefe da BP, Doug Suttles, disse a redes de TV dos EUA que o funil de contenção "deve funcionar", capturando mais de 90 por cento do óleo que está jorrando.

Mil barris por dia é apenas uma parte pequena dos 19 mil barris diários que o governo dos EUA estimou que podem estar jorrando do poço.

A BP vem enfrentando pressões crescentes para suspender seus pagamentos de dividendos, que totalizam 10,5 bilhões de dólares por ano, e desviar dinheiro para cuidar do vazamento e dos trabalhos de limpeza do óleo, mas o comunicado emitido pela empresa não foi conclusivo em relação a isso.

"Decisões futuras sobre o dividendo trimestral serão tomadas pelo Conselho, como sempre foram, com base nas circunstâncias do momento. Todos os fatores serão levados em conta, e será tomada a decisão que atender aos interesses de longo prazo dos acionistas", segundo o comunicado.

Tony Hayward prometeu que a BP "vai cumprir suas obrigações".

"Vamos conter este vazamento e vamos consertar os danos causados", disse ele.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG