BP diz que pode perfurar novamente poço onde ocorreu vazamento

Empresa poderia usar poços auxiliares para retirar petróleo do poço danificado e comercializá-lo

AP |

© AP
Petróleo que vazou da plataforma Deepwater Horizon é visto na baía de Barataria no dia 5 de agosto
A BP afirmou nesta sexta feira (06/08) que pode no futuro perfurar novamente no mesmo reservatório de petróleo do Golfo do México onde ocorreu o pior desastre ambiental dos Estados Unidos. “Ainda tem muito gás e petróleo por lá”, disse à imprensa o chefe de operação da empresa Doug Suttles. “Em algum momento teremos que pensar o que vamos fazer com aquele reservatório”.

Acredita-se que só em óleo cru o reservatório poderia gerar aproximadamente 4 bilhões de dólares. O incentivo à exploração dos poços e do reservatório poderia crescer tendo em vista que a empresa e seus parceiros enfrentam dezenas de bilhões de dólares em dívidas.

BP termina fechamento do poço no Golfo do México

O almirante de reserva da Guarda Costeira Thad Allen disse não ter informações sobre os planos futuros da BP. "Eu diria que é uma questão política relacionada com a gestão do contrato de locação", disse. "Francamente, esta questão não compete ao meu cargo. Eu não tenho certeza se posso comentar sobre isso."

Acompanhe a evolução do vazamento no Golfo do México no infográfico do iG

Suttles gastou mais de três meses coordenando os planos de resposta da BP no Golfo do México e agora está de volta ao seu cotidiano normal de trabalho em Houston, de acordo com a empresa. Mike Utsler, responsável pelas operações do escritório de Houma, na Louisiana, vai substituí-lo. A troca de equipe vem no momento em que a BP finalmente conseguiu fechar o poço que vazava petróleo desde a explosão do dia 20 de abril e que matou 11 trabalhadores.(link pra matéria do fechamento do poço).

Especial: o futuro ambiental do Golfo do México

Suttles confirmou nesta sexta que a equipe que participou do procedimento “static kill” que injetou lama pesada e cimento no poço planeja usar um poço auxiliar de 5500 metros que permitirá prender a parte inferior do depósito que produziu a maré negra mediante um procedimento batizado de "bottom kill" (eliminação desde o fundo), através de uma nova injeção de lodo pesado e cimento. Caso o poço auxiliar não seja utilizado para o “Bottom Kill”, eles poderiam servir como um caminho para que a BP, ou outra empresa, bombeie petróleo do reservatório para fins comerciais.

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleoBPGolfo do México

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG