BP contém vazamento no Golfo do México pela 1ª vez

A petroleira conseguiu fechar as três válvulas do novo dispositivo colocado sobre o duto danificado, cessando o fluxo de petróleo

iG São Paulo |

© AP
Navios operam na zona do desastre do Horizon Deepwater, no Golfo do México
A BP anunciou hoje que, após testes, o sistema instalado sobre o poço no Golfo do México respondeu bem e, pela primeira vez desde o desastre, o petróleo parou de vazar no mar em abril. A empresa conseguiu o fechamento de todas as válvulas do novo dispositivo colocado sobre o duto danificado. Em comunicado, a empresa diz que, durante as provas, as três aberturas continuaram fechadas, "o que a efeitos práticos fecha o poço". "Embora não se possa garantir, se espera que não se derrame mais petróleo no mar", afirma a nota.

A operação faz parte do teste que a petroleira está fazendo para saber se o mecanismo suportará a pressão do petróleo. Os dados serão analisados de 6 em 6 horas.

"É bom ver que nenhum petróleo está sendo liberado no Golfo do México", disse o vice-presidente sênior da empresa, Kent Wells que, no entanto, alertou: "apenas estamos iniciando o teste" com o novo dispositivo.

Ele afirmou que o fluxo de petróleo foi interrompido quando a última das três válvulas do gigantesco funil foi fechado por volta das 14h25 locais (16h25 de Brasília) desta quinta-feira, mas os engenheiros acompanham atentamente a operação para ver se o petróleo começa a vazar novamente.

Este é o maior passo já dado para conter a pior catástrofe ambiental da história dos Estados Unidos desde que a plataforma da BP naufragou, em 22 de abril, dois dias depois de uma grande explosão.
"Estou muito contente em não ver o petróleo vazar para o Golfo do México", disse Wells.

nullA BP iniciou os testes na segunda-feira (12/07) e, desde então, a empresa o interrompeu diversas vezes. O motivo era a preocupação de que a pressão danificasse ainda mais o poço, que jorra petróleo desde o dia 22 de abril.

Se o poço não puder ser totalmente selado com o dispositivo, a BP planeja instalar o primeiro de dois poços de emergência para conter definitivamente o vazamento.

"Seria uma ótima notícia se pudéssemos fechar o poço", disse, cauteloso, o almirante Thad Allen, supervisor do governo americano para os trabalhos de contenção do vazamento, ao anunciar na quarta-feira a autorização para os testes.

"Não quero alimentar esperanças de que poderemos fechar o poço até que tenhamos os dados empíricos que precisamos", acrescentou.

Um bom sinal
A interrupção do vazamento de petróleo no Golfo do México anunciada hoje pela empresa BP representa "um bom sinal", afirmou hoje o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Em declarações após uma visita a Michigan, Obama advertiu, no entanto, que conclusões definitivas ainda não podem ser adotadas, pois o dispositivo de contenção instalado no último fim de semana sobre o poço continua sendo testado.

A Agência Internacional de Energia (AIE) avalia que o naufrágio da Deepwater Horizon, em 22 de abril, tenha provocado um vazamento de 2,3 a 4,5 milhões de barris de petróleo no Golfo do México até agora.

(Com informações da EFE e AFP)

    Leia tudo sobre: vazamentopetróleoBPGolfo do México

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG