Borboleta azul de Miami está sob proteção por 240 dias

Espécie corre risco de extinção e será crime tentar apanhar o inseto para colecinar ou comercializar durante este período

EFE |

A borboleta azul de Miami se tornou nesta quarta-feira (10) uma espécie protegida pelas autoridades americanas em uma tentativa de evitar sua extinção. O Departamento de Pesca e Vida Silvestre dos Estados Unidos decidiu estabelecer uma proteção de emergência temporária sobre esta espécie, que habita o extremo mais sudeste do país e que ocupava amplas áreas da península da Flórida.

"Para tomar esta determinação de emergência avaliou-se cuidadosamente a melhor informação científica disponível e comercial a respeito das ameaças passadas, presentes e futuras que a borboleta azul de Miami enfrenta", explicou o departamento em comunicado.

A intenção das autoridades é atrair a atenção de ambientalistas e cientistas para que aumentem as pesquisas sobre a borboleta azul e os fundos destinados a manter seu ecossistema e garantir sua sobrevivência.

A proteção à borboleta estará vigente por 240 dias, mas as autoridades estão atuando para prolongar esse prazo.

A partir de agora também será considerado crime tentar apanhar alguma borboleta azul de Miami para colecionar, comercializar ou exportar.

Uma das maiores ameaças que as borboletas enfrentam são as tempestades tropicais e furacões que costumam atingir o Caribe nessa época do ano.

"A borboleta azul de Miami está em perigo de extinção devido à influência combinada da destruição de seu habitat, da ingestão das plantas que a hospedam por parte de exóticas iguanas verdes, do dano acidental por parte dos seres humanos, da perda de diversidade genética e de catástrofes ambientais, como os furacões", explicaram as autoridades.

    Leia tudo sobre: animaisconservaçãoborboleta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG