Ativistas querem fim de fazendas de ursos na Coreia do Sul

Animais são mantidos em cativeiro para extração de sua bile, usada como remédio na medicina tradicional chinesa

BBC Brasil |

selo



Organizações de defesa de direitos de animais na Coreia do Sul querem aproveitar a reunião de líderes do G20, em Seul, para fazer campanha contra as fazendas de criação de ursos-negros-asiáticos.

Os ursos são mantidos nas fazendas para a extração da bile do animal, usada como remédio na medicina tradicional chinesa para tratamento de várias doenças. Nas fazendas são mantidos até centenas de ursos, fechados em jaulas. Os fazendeiros alegam que eles são bem tratados. Mas, os ativistas afirmam que a Coreia do Sul é um dos poucos países que ainda permitem a prática.

Aativista da organização Green Korea United, Kim Mi-young, diz que, como são animais selvagens, os ursos sofrem estresse dentro das jaulas. A extração de bile da vesícula dos ursos com o uso de seringa ou cateter de animais vivos e anestesiados foi proibida na Coreia do Sul. Mas, imagens gravadas com uma câmera escondida por um dos canais de televisão mais importantes do país mostraram que a prática continua.

A questão preocupa o governo da Coreia do Sul, que estará sob os holofotes da mídia mundial nesta semana por sediar a reunião do G20. Choi Jong-won, do Ministério do Meio Ambiente, disse que o governo está tentando resolver a situação.

Mas, lembrou que estes ursos são propriedade particular e que é difícil acabar com a prática de um dia para o outro. Os ativistas esperam que o governo se disponhe a indenizar os fazendeiros que tiverem suas propriedades fechadas.

    Leia tudo sobre: ursosfazendascoreia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG