Ásia e Pacífico iniciam a Hora do Planeta

Países apagam seus monumentos por uma hora, para campanha que visa conscientizar sobre mudanças climáticas

iG São Paulo |






A Hora do Planeta, campanha da ONG World Wildlife Fund, começou pelos países do Pacífico, Nova Zelândia, Austrália e Fiji. Prédios públicos e monumentos apagaram suas luzes entre as 20h30 e 21h30 (nos horários locais) para conscientizar a população sobre as mudanças climáticas. Na Austrália, a porto e Ópera de Sidney, cartões-postais da cidade, ficaram às escuras por uma hora. Em vários locais, o evento começou com um minuto de silêncio pelas vítimas do terremoto de 11 de março no Japão.

Na Ásia
Pequim entrou na campanha apagando o trecho mais conhecido da Muralha da China, o de Badaling, e Taiwan fez o mesmo com seus arranha-céus mais emblemáticos, como exemplo do compromisso do país com a "Hora do Planeta", iniciativa da WWF para promover a economia energética.

O edifício mais alto da capital chinesa (a torre 3 do Centro Internacional de Negócios), os estádios olímpicos de Pequim 2008, o Teatro Nacional, o arranha-céu Taipei 101 e o icônico "skyline" de Victoria Harbour, em Hong Kong, também sumiram na escuridão entre 20h30 e 21h30 hora local, como fizeram ou farão neste sábado mais de 130 países.

É o terceiro ano em que a China participa desta iniciativa, que começou em 2007, e nesta ocasião as mais de 80 cidades do gigante asiático que participaram dobraram os registros de 2010, ano no qual 33 localidades chinesas apagaram as luzes de seus principais monumentos.

A WWF quer ir "além da hora", como diz seu slogan de 2011, e pediu a todos, indivíduos, empresas e cidades, que façam uma promessa de contribuir de alguma forma com a melhora do meio ambiente.

(Com informações da EFE)

    Leia tudo sobre: hora do planetawwfmeio ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG