Aplicativos de celular deixam a vida mais verde

Aparelhos e programas para celulares e redes sociais incentivam o consumo pautado pela sustentabilidade

Thiago André, especial para o iG |

Reprodução
Aplicativo shopgreen para iPhone controla a emissão de carbono da rotina do usuário
Reduzir o consumo de eletricidade e recursos naturais e fomentar a utilização de novos materiais que agridam menos a natureza. Essas são algumas motivações e justificativas da indústria de telefonia móvel para o desenvolvimento de uma série de aplicativos “verdes”, como estão sendo chamadas essas inovações tecnológicas para celulares, smartphones e até para usuários de redes sociais.

“São extremamente válidas todas as iniciativas que tenham como subproduto o consumo mais eficiente de energia, menor emissão de CO2, reaproveitamento de materiais e menor geração de resíduos sólidos. Mas se essas tecnologias serão bem aceitas ou não, isso vai depender do que chamamos de ‘percepção de valor ambiental’ dos consumidores”, disse Clarissa Lins, diretora executiva da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS).

Ela citou o Good Guide , aplicativo que calcula o ciclo de vida de produtos cadastrados por meio da leitura de seus códigos de barras, apresentando informações sobre quão sustentável é sua cadeia produtiva. “Esse é mais um exemplo de como um aparelho celular pode ser uma ferramenta para a decisão de consumo pautada pela sustentabilidade”, aponta.

Para o iPhone, as opções são várias: o shopgreen , por exemplo, calcula as emissões de gás carbônico de comportamentos (como usar uma bicicleta em vez de um carro, por exemplo) e produtos, ajudando o usuário a diminuir sua pegada de carbono. Já o Green Gas Saver alivia a consciência de quem não consegue abrir mão do seu veículo, ao calcular o caminho que oferece um melhor consumo de combustível.

O MeterRead , por sua vez, mede o consumo de energia de uma casa e com isso, permite uma economia de até 20% nas contas de energia elétrica. Há também aplicativos que detalham os poluentes num raio específico calculado a partir da localização física do usuário, como o Pollution .

Divulgação
W233 da Motorola: corpo feito com plástico reciclado
As redes sociais não ficaram de foram: Personal Water Footprint Calculator promete uma utilização mais eficiente de água à medida que convida os usuários do Facebook a aferir seu consumo anual de água e dá dicas de como reduzi-lo. Todos os aplicativos no momento estão em inglês.

Celulares ta mbém querem ser verdes
Calcula-se que 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico sejam produzidas por ano em todo o mundo, sobretudo em países asiáticos e africanos. Indo no sentido oposto a esses números, novos aparelhos celulares ambientalmente corretos chegam ao mercado como o W233 ECO, da Motorola. Seu corpo é feito a base de garrafas plásticas e os manuais de instrução foram todos impressos com papel reciclado. “Mas as grandes empresas também deveriam assumir a responsabilidade pelo descarte dos aparelhos antigos de seus clientes. Não adiantadar acesso a novas tecnologias se não cuidarmos do estrago que está sendo feito na natureza com os produtos antigos. Vender o novo sem se esquecer de recolher o velho seria a grande contribuição dessas companhias para um modelo de negócio mais sustentável”, apontou a diretora executiva da FBDS.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG