Albatroz raro amplia sua área de procriação

Dois casais de albatroz de cauda curta, que cientistas acreditavam que moravam apenas no Japão, foram encontrados no Havaí

The New York Times |

The New York Times
Albatroz de cauda curta encontrado no Atol Midway, no Havaí
Dois casais do albatroz de cauda curta, espécie que supostamente vive apenas em duas ilhas japonesas, foram encontrados em ninhos na Ilha Kure e no Atol Midway, dois refúgios da vida selvagem nas ilhas havaianas.

Até hoje, acreditava-se que as últimas colônias reprodutivas desses pássaros estavam nas ilhas japonesas. A população adulta total da espécie não ultrapassa os 3 mil.

A nova descoberta traz esperanças de que o pássaro possa se propagar além do Japão, afirmou Jessica Hardesty Norris, diretora do Programa de Aves Marinhas da Preservação Americana de Pássaros, uma organização ambiental.

“Seu local de procriação no Japão é um habitat bastante decente, mas há um vulcão muito ativo e perigoso”, explicou ela. “Isso poderia acabar com a espécie, então ficamos animados com a possibilidade de outra colônia viável”.

O albatroz de cauda curta é um pássaro de ataque, com um lustroso bico rosado, corpo branco e nuca e coroa num tom de dourado.

Embora o pássaro já tenha prosperado nas ilhas do Oceano Pacífico, o uso de suas penas para chapéus e outras finalidades decorativas levou a uma queda populacional no final do século 19.

Algumas áreas de procriação em Torishima, no Japão, foram danificadas numa erupção vulcânica em 1939, e o número de casais se reproduzindo caiu para cerca de dez.

Os pássaros que foram recentemente encontrados incluem um par macho-fêmea, com um ovo fecundado, e um par fêmea-fêmea com dois ovos. Ainda não ficou claro se os ovos do par de mesmo sexo foram fecundados.

    Leia tudo sobre: avesreprodução

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG